Cidade catarinense terá "rua mais sinuosa do mundo" e deve bater recorde da Califórnia

Projeto conta com 10 curvas, balanço infinito, área de descanso e fonte para fotos

Por Redação Oeste Mais

14/04/2022 14h35 - Atualizado em 14/04/2022 14h35



Objetivo é bater o recorde da Califórnia e entrar para o Guiness Book (Foto: Prefeitura de São Joaquim)

A cidade de São Joaquim, já conhecida pelo turismo na região da Serra catarinense, apresentou nesta semana, um projeto para a construção da “rua mais sinuosa do mundo”. Até o momento, esse título pertence a Lombard Street, no estado americano da Califórnia e está registrada no Guiness Book, o livro dos recordes.

 

A Lombard Street é um dos pontos de referência mais populares, palco de grandes produções dos filmes de Hollywood. Nela, os visitantes caminham ou dirigem por oito curvas íngremes e fechadas, que fazem jus ao título mundial.

 

Em São Joaquim, a rua sinuosa será construída em um espaço onde antes era conhecido como belvedere. Os recursos para a realização da obra provêm de uma emenda parlamentar do deputado João Amin, além de recursos próprios do município, que somam mais de R$ 3 milhões em investimentos.

 

“Durante a descida da rua, as pessoas poderão fazer o uso de uma escadaria para uma caminhada e descida de veículos. Haverá um monumento “eu amo São Joaquim”, um balanço infinito, pergolado, enfim, vai ter áreas de descanso e também uma fonte para fotos. Vamos ter realmente um equipamento turístico para as pessoas passarem e aproveitarem cada vez mais a cidade", destacou o prefeito Giovani Nunes.

 

A princípio, a obra foi projetada com 9 curvas, mas, posteriormente foi aumentada para 10, duas a mais que a da Califórnia.

 

Com os recursos já garantidos, o projeto deverá sair do papel em breve, segundo a prefeitura.





Com recursos de mais de R$ 3 milhões garantidos, obra deve sair do papel em breve (Fotos: Prefeitura de São Joaquim)

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.