Trevos e redutores de velocidade na BR-282 são temas de audiência pública em Ponte Serrada

Segurança no perímetro urbano da rodovia foi tratada em reunião entre Legislativo, Executivo, Dnit e moradores

Por Jhonatan Coppini

18/11/2019 21:47 - Atualizado em 18/11/2019 22:13



Uma audiência pública para tratar sobre medidas de segurança e mudanças ─ incluindo a possibilidade de fechamento ─ nos trevos de acesso ao município de Ponte Serrada, no perímetro urbano da BR-282, foi realizada nesta segunda-feira, dia 18, na Câmara de Vereadores.

 

O supervisor regional do Dnit de Chapecó, Diego Fernando da Silva, explicou que a primeira intenção era realmente fechar o trevo perto da Escola Belermino Victor Dalla Vecchia, mas manter o trevo que liga a BR-282 à Avenida 15 de Novembro.

 

Entretanto, mostrou-se receptivo a considerar possibilidades para manter aberto o trevo perto da escola. Também informou que o Dnit pretende fazer melhorias no trevo de acesso à avenida, com a colocação de faixas de desaceleração.

Audiência pública foi realizada nesta segunda-feira na Câmara de Vereadores (Foto: Jhonatan Coppini/Oeste Mais)

Possibilidades

 

Como alternativa, a vereadora Milena Aparecida da Silva sugeriu a instalação de lombadas físicas no trevo da escola e manutenção do local. Diego disse que há inclusive uma resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que possibilita a construção de lombadas, mas um estudo técnico precisa ser feito.

 

O supervisor também adiantou que a fixação de redutores eletrônicos de velocidade (radares) deve ocorrer até a metade do próximo ano, após a definição da empresa responsável por gerenciar os equipamentos, além de análises técnicas do Dnit para a escolha dos locais.

 

"Mais importante do que o fechamento, seria a instalação dessas lombadas", argumentou a vereadora Rúbia Caroline Wrubel, ao reforçar o pedido por agilidade na colocação dos redutores. No mesmo tom falaram os vereadores Adenir Freitas e Edivan Antonio Panizzi, que ainda sugeriu uma alteração para que os veículos saiam do trevo apenas pela direita e ingressem nas paralelas, ficando proibido o cruzamento da BR-282.

 

Pavimentação de paralela

 

Segundo o prefeito Alceu Alberto Wrubel, cerca de R$ 550 mil são necessários para pavimentar o trecho do trevo perto da Escola Belermino Victor Dalla até o Centro de Educação Infantil Hermínia Severgnini. Do total, R$ 250 mil devem ser de uma emenda parlamentar, com o restante em recursos próprios. Além do asfalto, o projeto prevê a execução de drenagem pluvial e calçadas.

 

Como o Dnit está concluindo o trevo de acesso da BR-282 à SC-154, que liga Ponte Serrada a Passos Maia, deverá pavimentar um pequeno trecho da paralela, até a entrada do Complexo Esportivo Jorge Konder Bornhausen. Outro pequeno trecho ainda vai precisar ser orçado para completar a pavimentação do percurso até o trevo da escola.

 

Já em relação ao trecho que segue até o trevo principal, a ideia da administração é contrair um financiamento para realizar a obra. Segundo o prefeito, o percurso de 1.560 metros de via é mais complexo, com a base exigindo uma intervenção no subleito, com obras de reperfilamento da pista, tubulação e drenagem pluvial para a colocação da camada asfáltica.

 

Próximos passos

 

O supervisor do Dnit reforçou ao final da audiência pública que um processo de análise deverá ser feito agora pelo órgão para definir a melhor medida em relação ao fechamento ou não do trevo próximo à escola. “Havia uma diretriz pelo fechamento, mas claro que o nosso intuito é também atender a demanda local. A gente vai, nos próximos dias, definir”, concluiu Diego.

 

O presidente da Câmara de Vereadores, Marcelo Tadeu Wrubel, elogiou o resultado da reunião e enalteceu a possibilidade de diálogo entre o município e o Dnit para a busca pela melhor alternativa. “Fico contente por esse diálogo. Muitos empresários estavam apreensivos, mas vimos que não é uma medida impositiva. Esperamos que seja tomada a melhor decisão”, desejou.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.