Subsídio ao óleo diesel faz governo cortar mais de R$ 40 milhões em obras na BR-282

Mesmo com a redução de verbas, Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte quer iniciar as obras

11/06/2018 10:05



Mesmo com a redução de verbas para a recuperação da BR-282 no Oeste, de R$ 50 milhões para R$ 9,1 milhões, pela Medida Provisória 839, de subsídio ao óleo diesel, o Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (Dnit) quer iniciar as obras.

 

De acordo com o chefe do Dnit no Oeste, Diego Silva, é possível dar a ordem de serviço para e empresa Traçado até outubro. “Não vai dar para fazer o que a gente queria, que era iniciar a restauração na travessia urbana de Pinhalzinho, mas é possível fazer algumas intervenções em alguns pontos”, explicou o engenheiro.

 

A obra orçada em R$ 158 milhões prevê 33 quilômetros de terceira faixa e recuperação da pavimentação na BR-282, entre Chapecó e São Miguel do Oeste, e na BR-158, do trevo da BR-282 até a divisa com o Rio Grande do Sul. Também prevê trevos para a Udesc em Pinhalzinho, em Romelândia e Iraceminha, melhoria do trevo de Acesso à BR-158, em Nova Itaberaba e Sede Figueira, em Chapecó. Também prevê um trevo em Cunha Porã e outro em Santa Lúcia, em Palmitos.

 

Edital para a BR 163

 

O Dnit também pretende lançar o edital de retomada de obras da BR-163, que teve o contrato com a antiga empreiteira rescindido, pela paralisação das obras. A intenção é lançar o edital em julho, mesmo tendo apenas R$ 2,7 milhões no orçamento. O objetivo é tentar liberar mais R$ 10 milhões em emendas parlamentares.

 

Xanxerê

 

Está em fase de conclusão o projeto de ligação da BR-282 com o contorno viário de Xanxerê, que vai até a SC-480. O Contorno foi construído pelo governo do estado, mas faltou a alça de ligação com a rodovia federal. O Dnit fará um alargamento da pista para que os veículos possam reduzir a velocidade antes de trocar de pista de forma mais segura.

Da NSC Total


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.