Menor vítima de acidente na BR-282 pegou carro escondido da mãe; quem era Arthur Espindola Batista

Jovem de 16 anos, único ocupante do veículo, teria se despedido de amigos em escola antes de pegar a estrada

Por Redação Oeste Mais

27/10/2021 15h20 - Atualizado em 27/10/2021 16h35



Arthur Espindola Batista completou 16 anos no último dia 29 de setembro. Morador do Bairro Bela Vista, em Chapecó, o adolescente morreu na tarde de terça-feira, dia 26, após uma colisão frontal envolvendo um Chevrolet Onix, com placas de Curitibanos (SC), e uma carreta Volvo, de Mandirituba (PR). O acidente ocorreu no km 450 da rodovia, em um trecho entre os municípios de Ponte Serrada e Irani, no Oeste catarinense.

 

O automóvel dirigido por Arthur pertencia à mãe do menor, que chegou a registrar um boletim de ocorrência dando conta do desaparecimento do filho. Segundo apurou o Oeste Mais, a mãe relatou à polícia que o adolescente almoçou em casa e saiu por volta das 12h40 de terça-feira. Ela também disse às autoridades que um amigo do menor afirmou que Arthur disse no dia anterior que estava cansado de viver. A reportagem não conseguiu contato com a mãe.

 

Investigação

Arthur Espindola Batista tinha 16 anos de idade (Foto: Arquivo pessoal)

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do acidente. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Onix invadiu a pista contrária, batendo de frente com a carreta. A violência do impacto fez o automóvel se abrir ao meio. Com múltiplas fraturas, o corpo de Arthur foi projetado do veículo e parou no acostamento da pista.

 

Ainda conforme a Polícia Civil, um amigo do menor disse que ele teria postado a frase "hoje é o dia" em uma rede social. O Oeste Mais ainda apurou que vários colegas do menino, que estudava na Escola de Educação Básica Professora Lourdes Angela Sarturi Lago, no Bairro Bela Vista em Chapecó, disseram que Arthur passou na unidade de ensino para se despedir antes de pegar a estrada.

 

Logo após o acidente, a escola publicou uma nota nas redes sociais: “Com pesar comunicamos o falecimento do nosso aluno Arthur Espindola. Arthur, um menino lindo, cheio de luz, dono de um sorriso e de uma simpatia contagiante... Rodeado de amigos, sempre muito comunicativo. Uma perda precoce, indescritível e de uma dor imensa. Nesse momento de profunda dor, nos solidarizamos com os familiares”, diz o texto.

Carro se abriu ao meio com a violência da batida (Foto: Corpo de Bombeiros)

Filho único

 

Arthur Espindola Batista era filho de Joseri Olizandro Batista e Mariza Espindola Borges. Ele nasceu no dia 29 de setembro de 2005, no município de Francisco Beltrão (PR).

 

Oeste Mais conversou na tarde desta quarta-feira, dia 27, com uma amiga de Arthur. A jovem de 14 anos disse que conhecia o adolescente há cerca de dois anos e falava diariamente com ele. A menor disse ainda que o menino era filho único.

 

Segundo a amiga, Arthur era dedicado aos estudos e sempre ajudava a todos.

 

“Às vezes ele me falava que estava desanimado, mas que ele ia ficar bem. Só que nunca chegou a falar que tava muito mal ou querendo tentar coisas erradas. Ele tinha medo do futuro dele, de falhar na vida”, conta.

 

Arthur estudava à tarde, no primeiro ano do ensino médio. Na tarde de terça-feira, amigos contaram que ele passou pela escola antes de iniciar as aulas, disse que iria “cabular” aula, mas não era para contar a ninguém.

 

Os amigos estranharam a atitude do rapaz, já que Arthur não costumava faltar aula e nem sair de Chapecó. Por volta das 13h30, as mensagens enviadas não foram entregues no celular de Arthur. Pouco tempo depois, os jovens receberam a notícia do acidente.

 

Ainda de acordo com a amiga de Arthur, ele trabalhava em uma empresa há cerca de seis meses como menor aprendiz, mas não apareceu no serviço na terça-feira porque teria um curso.

Corpo do jovem foi sepultado em Francisco Beltrão (Foto: Arquivo pessoal)

Sepultamento

 

O corpo do menor foi velado na Capela Mortuária do Bairro Bela Vista, em Chapecó. De acordo com a empresa responsável pelo funeral, uma cerimônia de despedida ocorreu por volta das 12h30 desta quarta-feira, com o cortejo seguindo para Francisco Beltrão, onde aconteceu o sepultamento.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.