VÍDEO: “Perdi meu companheiro de viagem”, diz pai após morte de filho de 23 anos

Henrique Mateus ficou preso nas ferragens e morreu carbonizado em acidente na manhã de quinta-feira

Por Oeste Mais

05/02/2021 13h42



Ademir Antonio Mateus perdeu o filho no acidente (Foto: Reprodução)

Ademir Antonio Mateus, pai do jovem Henrique Mateus, de 23 anos, disse que ele e o filho viajavam juntos há cerca de três anos. Motorista de uma carreta, Henrique morreu depois de bater na traseira da carreta do pai. O acidente ocorreu na manhã de quinta-feira, dia 4, na BR-467, em Toledo, na região Oeste do Paraná.

 

A carreta dirigida pelo jovem acabou pegando fogo após a colisão. Ele ficou com o corpo preso nas ferragens, consciente o tempo todo, mas morreu carbonizado.

 

“Tentei abrir, socorrer, e ele pedindo pelo amor de Deus, ‘pai, não deixa eu morrer’. E não teve o que fazer. Perdi meu companheiro de viagem”, lamentou Ademir em entrevista ao site Catve (assista mais abaixo).

 

Um motorista que passava pela rodovia registrou em vídeo o momento em que as chamas tomaram conta da cabine. O acidente ocorreu logo cedo, pouco tempo depois de pai e filho saírem de um posto de combustível, onde passaram a noite. “Tomamos café, chimarrão, saímos tranquilos”, recordou o pai.

 

Ainda segundo Ademir, as carretas estavam a cerca de 70 km/h no momento do acidente. “O trânsito estava muito congestionado de carro andando abaixo da velocidade. Quando olhei no retrovisor, já vi ele vindo pra cima de mim, não tive o que fazer”.

 

Moradores de Santa Terezinha de Itaipu (PR), os dois seguiam viagem para Campo Novo do Parecis (MT). Ainda sobre o acidente, Ademir lamentou não ter conseguido salvar o filho.

 

“Estava vivo, lúcido. Eu pedi se ele tinha quebrado alguma coisa, ele ficou preso, não conseguia [sair]. E eu tentei abrir [a porta], puxar, não consegui”.

 

Assista à entrevista de Ademir Antonio Mateus ao site Catve logo após o acidente:


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.