Polícia Civil conclui investigação sobre estelionato praticado por casal em Ponte Serrada

Autoridades apontam que homem e a mulher utilizavam cartões de crédito em nome de terceiros para fazer compras em estabelecimentos comerciais da cidade

Por Redação Oeste Mais

29/12/2018 14h10 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A Polícia Civil de Ponte Serrada concluiu nesta sexta-feira, dia 28, uma investigação sobre um crime de estelionato que estava sendo praticado por um casal de moradores do municípo. Com o uso de cartão de crédito adquirido em nome de terceiro, o homem e a mulher efetuavam diversas compras nos estabelecimentos comerciais da cidade, gerando prejuízo a terceiros e a instituições bancárias.

 

Após a prisão do homem no mês de setembro, os policiais civis conseguiram apreender diversos documentos particulares e públicos falsificados, além de cartões de crédito em nome de terceiros, produtos químicos e matrizes para a realização do crime. Na ocasião, a Polícia Civil restituiu equipamentos eletrônicos e de construção civil às vítimas do golpe.

 

Com o avanço da investigação, mesmo com a permanência do homem em prisão preventiva, a companheira continuou recebendo benefícios com os golpes realizados, além de efetuar compras no comércio local, momento em que os policiais conseguiram identificar o último golpe e avisar os comerciantes.

 

No retorno da investigada à área central da cidade, justamente para reclamar sobre o atraso de entrega dos eletrodomésticos adquiridos mediante o uso de um cartão de crédito falsificado, os policiais civis e militares conduziram a mulher à Delegacia de Polícia Civil.

 

Alguns bens materiais foram apreendidos e estão na delegacia para restituíção aos lojistas. A mulher foi liberada após os procedimentos na delegacia. Outras informações aos lojistas serão possíveis após a finalização do levantamento sobre os prejuízos gerados com o crime.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.