Radares de velocidade voltam a funcionar nas rodovias catarinenses

Equipamentos haviam sido desligado no início de novembro

Por Redação Oeste Mais

27/12/2017 14h09 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Os radares das rodovias federais de Santa Catarina administradas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que estavam desligados desde o início de de novembro, foram religados ainda no dia 21 de dezembro, porém a informação foi confirmada pelo departamento nesta quarta-feira, dia 27. 

 

Segundo o Dnit, todas as empresas foram avisadas no último dia 20 e se comprometeram a retomar os serviços de fiscalização de velocidade. Conforme o departamento, é possível que um ou outro equipamento não esteja funcionando porque depende de vistoria regular do Inmetro.

 

 As rodovias que ficaram sem a fiscalização eletrônica dos pardais foram a BR-470, BR-280, trecho Sul da BR-101 e a BR-282 que é o principal acesso ao Oeste catarinense.

 

Os motivos da interrupção

 

Conforme o órgão, o desligamento ocorreu em função de restrição orçamentária por parte da União.  "Esclareço que o DNIT havia suspendido o funcionamento de parte de seus  3.005 radares de velocidade instalados nas rodovias federais, inicialmente por questão de restrição orçamentária, já resolvida", justificou o departamento por meio de nota.  

 

As únicas rodovias que não ficaram sem a fiscalização eletrônica foram as concedidas para a administração privada.

  

Na avaliação do chefe da comunicação social da PRF-SC, Adriano Fiamoncini, o problema maior foi quando as empresas cobriram alguns dos radares, o que alertou os motoristas sobre o desligamento.  "É procupante, o controle de velocidade é essencial para a redução de acidentes", disse Fiamoncini. 

 

Segundo a PRF, as quatro rodovias administradas pelo Dnit registraram juntas 5,6 mil acidentes, 5,3 mil feridos e 227 mortos. O levantamento leva em consideração as rodovias BR-280, BR-282, BR-470, e o trecho sul da BR-101, no período de 1º de janeiro a 25 de dezembro deste ano.   

 

De acordo com o DNIT, o contrato original com as empresas responsáveis pela manutenção dos radares terminou no início do ano. Desde então, o serviço é mantido por meio de contrato emergencial. O departamento alega que um novo edital de licitação já foi providenciado no ano passado, porém, o processo está emperrado na Justiça em função de recursos solicitados pelas empresas que estão concorrendo ao processo licitatório. 

 

Confira na íntegra a nota divulgada pelo DNIT

 

Esclareço que, como já é de conhecimento, o DNIT havia suspendido o funcionamento de parte de seus  3.005 radares de velocidade instalados nas rodovias federais, inicialmente por questão de restrição orçamentária, já resolvida. Foram mantidos os redutores instalados nas travessias urbanas, que são aqueles com display que mostra a velocidade ao passar pelo equipamento.  Assim, a maior parte dos radares de velocidade continuava funcionando.

 

Com o recurso garantido, o DNIT autorizou hoje (20/12) o retorno do serviço prestado pelas empresas. Lembramos que, pelo contrato válido até 2 de janeiro, as empresas recebem pela faixa (de trânsito) fiscalizada/mês. Não há mais restrição ao funcionamento dos radares, no momento.

Com informações do Diário Catarinense


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.