Operação Carnaval termina com queda de 36% no número de mortes nas rodovias federais de SC

Em comparação com o ano passado, redução de vítimas fatais em acidentes foi superior a um terço

Por Redação Oeste Mais

02/03/2017 09h40 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Operação Carnaval foi encerrada no final da noite desta quarta-feira (Foto: PRF)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Catarina divulgou um balanço sobre a Operação Carnaval 2017, encerrada à meia-noite desta quarta-feira, dia 1º. O trabalho estava em andamento desde a última sexta-feira, dia 24, em todo o Brasil, totalizando seis dias de fiscalização especial.

 

Em Santa Catarina a PRF concentrou policiais em pontos onde habitualmente ocorre o maior índice de acidentes. Nas rodovias federais que cortam o estado, 170 acidentes foram registrados, com 167 pessoas feridas e sete mortes. Comparando com a operação do ano passado, a redução no número de vítimas fatais foi de 36%.

 

Duas mortes aconteceram em colisões frontais na BR-282, em Lages e Rancho Queimado. Outra ocorreu em um capotamento na BR-280, em Irineópolis. Mas o acidente mais grave foi na noite desta quarta-feira, na BR-470, em Indaial, quando quatro ocupantes de um carro morreram em uma colisão frontal.

 

Outras infrações

 

De acordo com a PRF, nos seis dias de operação foram 4.858 autos de infração por motivos diversos. Os radares fotográficos registraram ainda 11.150 imagens de veículos em excesso de velocidade. Apesar do rigor da lei seca, com multa por embriaguez no valor de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por um ano, a PRF também flagrou 204 motoristas dirigindo sob efeito de álcool durante o carnaval. Ainda foram realizadas 93 ações de educação para o trânsito, que atingiram diretamente 2.327 pessoas.

 

“Todo o esforço policial foi recompensado com a redução significativa do número de óbitos, o que representa uma grande vitória não só para a PRF, mas para toda a sociedade”, destacou a PRF por meio de nota à imprensa.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.