Ventos durante ciclone em SC chegaram a 168,8 km/h, apontam novos dados de monitoramento

Registro de novo recorde estadual ocorreu no município de Siderópolis, no Sul catarinense, no dia 1º de julho

Por Oeste Mais

12/07/2020 08h40 - Atualizado em 12/07/2020 08h44


A tempestade e o ciclone extratropical que atingiram Santa Catarina nos dias 30 de junho e 1º de julho, causando estragos em todas as regiões, tiveram ventos que chegaram a 168,8 km/h, segundo um novo dado divulgado pela rede de monitoramento das estações do Centro de Informações e Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram).

 

A estação de Siderópolis, instalada em 2003, marcou 168,8 km/h entre as 5 e 6 horas do dia 1º de julho de 2020. Até então, o recorde pertencia a Celso Ramos (161,9 km/h, registro feito no dia 7 de outubro de 2010).

Ciclone estabeleceu novo recorde de vento em SC: 168 km/h (Foto: Divulgação)

Das 290 estações espalhadas pelo estado, cerca de 50 possuem medidores de velocidade e direção do vento e registraram velocidades superiores a 100 km/h, com destaque para a de Siderópolis, no Sul catarinense.

 

Segundo a meteorologista Maria Laura Guimarães Rodrigues, cinco estações registraram velocidades superiores a 118 km/h. Além de Siderópolis, destacam-se Urupema, na Serra Catarinense, com 126 km/h, e Indaial, no Vale do Itajaí, com 121 km/h. Outras sete estações registraram ventos entre 113 e 117 km/h, e nove delas registraram ventos de 89 a 102 km/h.

 

O vento forte causou danos em estações meteorológicas automáticas como em Lages e Urupema. Parte da ampla rede de estações monitoradas pela Epagri/Ciram sofreu interrupção no sistema de transmissão devido a problemas com a rede de telefonia.

 

O sistema aos poucos está sendo restabelecido e novas informações coletadas nos dias do vendaval, como as da estação de Siderópolis, estão sendo checadas, validadas e disponibilizadas com confiabilidade e veracidade no banco de dados da Epagri/Ciram.

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.