Defesa Civil contabiliza mais de mil atingidos e R$ 10 milhões de prejuízos em Caçador

Homem encontrado morto em açude também teria sido vítima da enxurrada

Por Oeste Mais

16/01/2014 13h13 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O relatório final sobre os estragos causados pela enxurrada do final de semana em Caçador, no Meio-Oeste catarinense, ainda não foi concluído. Porém, o número de pessoas atingidas até agora chega a 1.122. Quatro famílias não poderão mais voltar para casa, porque os imóveis foram condenados.


Segundo o coordenador da Defesa Civil no município, Sérgio Eloi Bisotto, o prejuízo estimado deve chegar a R$ 10 milhões. Metade desse dinheiro seria necessária apenas para reconstruir vias urbanas, rurais, pontes e bueiros.


Além disso, 365 casas tiveram prejuízos. As equipes da Defesa Civil também já vistoriaram 83 locais onde houve desmoronamentos de terra e de muros. Houve danos também nas sedes de órgãos públicos, principalmente na Secretaria de Desenvolvimento Regional.


Bisotto ressalta que equipes do setor de Assistência Social estão nas ruas prestando atendimentos emergenciais aos atendidos, já que há famílias desalojadas e outras que não poderão mais voltar para casa. Comida, roupas e colchões estão sendo distribuídos.


Caçador é um dos cinco municípios catarinenses que decretaram situação de emergência após as chuvas do último final de semana. Penha, Criciúma, Siderópolis e Rio das Antas também encaminharam decretos à Defesa Civil.


Morte após chuva é confirmada


A Defesa Civil também confirmou a morte de Zelico Francisco dos Santos, de 65 anos, em decorrência das chuvas. No domingo, após a forte enxurrada, a vítima teria tentado desentupir a tubulação de um açude quando foi sugada pelas águas. O caso está sendo investigado.

DC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.