Três municípios do Oeste têm alto risco de transmissão para dengue, zika e chikungunya

Outras 28 cidades do estado estão com indicativos de médio risco e 43 com risco considerado baixo

02/12/2018 10:31


Três cidades do Oeste catarinense estão com alto risco para a transmissão de dengue, zika e chikungunya, devido ao número de focos do mosquito Aedes aegypti. O diagnóstico foi feito com base no Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), orientado pelo Ministério da Saúde. Os focos do mosquito estão concentrados em 159 municípios catarinenses.

 

Águas de Chapecó, Palmitos e Quilombo foram os municípios que apresentaram alto risco no último levantamento feito em novembro (veja os índices abaixo). Outros 28 municípios têm indicativos de médio risco para a transmissão das doenças e 43 com risco considerado baixo.

Municípios de alto risco de dengue em Santa Catarina (Foto: Reprodução/NSC TV)

Segundo o índice divulgado pela Diretoria de Vigiância Epidemiológica (Dive/SC), nas três cidades com alto risco, a cada 100 imóveis pesquisados, pelo menos quatro tinham focos do mosquito.

 

Para a bióloga Deyse Angelini, da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Chapecó, as ações preventivas devem ser intensificadas. "É bastante preocupante porque está iniciando os períodos mais quentes, porque o verão está chegando ainda e a tendência é que esse número de casos aumente muito. Se começar a ter transmissão da doença de chikungunya ou zica, vamos ter muita gente doente e não é o que queremos para a saúde da população", disse.

 

A orientação é que os municípios intensifiquem as ações de controle envolvendo os moradores para eliminar pontos de acúmulo de água que representem risco de reprodução do mosquito.

Do G1/SC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.