Preços de exames laboratoriais podem variar 1.300%

Segundo pesquisa, entre as variações mais altas estão exames de colesterol, hemograma e hepatite C, considerados de baixa complexidade

18/04/2019 16:09 - Atualizado em 18/04/2019 16:20



Os custos de exames laboratoriais, incluindo de imagens e análises clínicas, podem variar mais de 1.300%, considerando o tipo de exame e o prestador escolhido, aponta levantamento realizado pela corretora It’sSeg.

 

Os dados revelam que o exame de colesterol apresenta o maior índice de variação (1.309,42%), sendo R$ 5 o menor preço registrado, enquanto o maior chegou a 131 reais. Outros exames que mostraram altas oscilações foram hemograma (537,5%), hepatite C (153,92%), tomografia computadorizada (153%) e ressonância magnética (74,9%). 

 

A justificativa para a diferença nos valores está relacionada a qualidade do serviço, localização do laboratório, eficiência e comodidade no atendimento, investimento tecnológico e até mesmo a importância da marca.

 

 

Preço do hemograma pode variar em 537,5% (Foto: Divulgação)

Os custos

 

O levantamento, realizado entre agosto de 2015 e julho de 2018, investigou 113 laboratórios e descobriu que tanto exames simples como os de alta complexidade sofrem grandes variações nos custos, dependendo do prestador.

 

Além das aferições de colesterol, o hemograma é outro exame de baixa complexidade que apresenta grandes diferenças nos valores: o menor preço registrado foi R$ 10,76; já o mais alto pode chegar a R4 97, correspondendo a uma variação de 537,5%. No caso dos exames para hepatite C, o valor mínimo é de R$ 73, mas há prestador que cobra R$ 230 pelo exame, números que representam uma diferença de 153,92%. 

 

Os exames de alta complexidade, como tomografia computadorizada e ressonância magnética, também mostraram oscilação no preço, embora relativamente menor em comparação com análises mais simples.

 

A tomografia de diversas estruturas e membros variou em 153%, ficando entre R$ 346 e R$ 907. Os preços da ressonância magnética variaram de R$ 695 a R$ 1.440, dependendo do laboratório. Somente a ressonância do crânio tem variação menor em relação a de outras partes do corpo, ainda que os valores praticados sejam mais altos (entre 695 reais e 1.300 reais). 

Da Veja


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.