Município do Oeste tem maior média per capita de investimento em saúde em SC

Conselho Federal de Medicina divulgou levantamento do investimento médio das prefeituras por pessoa

Por Oeste Mais

22/01/2019 09:37 - Atualizado em 22/01/2019 11:44



O Conselho Federal de Medicina divulgou nesta segunda-feira, dia 21, um levantamento do investimento médio por pessoa das prefeituras brasileiras em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), declaradas no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

 

Em Santa Catarina, o mínimo e o máximo variam de R$ 192,60 a R$ 1.513,80 por pessoa no ano inteiro. No Brasil, varia de R$ 67,54 a R$ 2.971,92. A média de Santa Catarina em relação à média dos municípios foi de R$ 586,13. No total, 181 municípios (61,3%) ficaram abaixo desse índice em 2017. No Brasil, a média foi de R$ 403,37.

 

:: Confira no mapa interativo os valores aplicados em cada município de SC

 

A cidade com maior média per capita de investimento em saúde de Santa Catarina é Paial, no Oeste, a pouco mais de 30 quilômetros de Chapecó. O pequeno município de 1.577 habitantes aplicou R$ 1.513,77 por pessoa no setor em 2017. Logo atrás vêm Ermo e Presidente Castello Branco, com R$ 1.471,75 e R$ 1.402,74, respectivamente. As 18 mais bem colocadas no estado têm até 4,1 mil habitantes.

 

Entre as maiores, a mais bem colocada é Balneário Camboriú, que gastou em média 852,68 em 2017 por cidadão. Na outra ponta está a vizinha Camboriú, o pior índice do estado. A cidade foi a única que aplicou menos de R$ 200 por morador no ano inteiro — R$ 192,58.

 

Pela lei, o governo federal e os municípios devem investir 15% de tudo o que arrecadam em saúde. Já o governo de Santa Catarina, por força da Emenda Constitucional 72/16, deveria aplicar o mínimo de 13% em 2017, ano no qual se baseia o estudo. A mesma norma prevê aumento do percentual mínimo para 15% em 2019.

Com informações do NSC Total


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.