Hospital Regional São Paulo tem superlotação na ala de emergência

Unidade que atende pacientes de Xanxerê e municípios da região pede que apenas casos graves sejam encaminhados

Por Oeste Mais

04/01/2019 07:53


O Hospital Regional São Paulo (HRSP) de Xanxerê está com superlotação da ala de emergência, segundo uma nota emitida pela unidade nesta quinta-feira, dia 3. O pedido é para que somente os casos mais graves sejam encaminhados ao HRSP, que além de Xanxerê, atende pacientes de vários municípios da região.

 

A direção aponta que a demanda está acima da capacidade técnica — número disponível de profissionais de enfermagem e médicos, além da quantidade de leitos. “O que mais chama a atenção é que cerca de 80% dos casos atendidos não são classificados como urgência e emergência”, relata a nota.

 

Leia na íntegra

 

Procurar a Emergência do Hospital Regional São Paulo (HRSP) somente em casos mais graves, esta é a orientação repassada à comunidade de Xanxerê e região pela instituição. A alta demanda por atendimento e, sobretudo, o represamento de pacientes das unidades de Saúde dos municípios próximos, que estão com os atendimentos reduzidos, refletem na superlotação da Emergência do hospital.

 

Conforme a direção do HRSP, a Emergência opera acima da capacidade técnica (número de profissionais de enfermagem e médicos, além da quantidade de leitos). O que mais chama a atenção é que cerca de 80% dos casos atendidos não são classificados como urgência e emergência. A instituição pede a compreensão da comunidade neste início do ano para que procurarem a Emergência do hospital com cautela e bom senso.

 

O setor atua com protocolo de acolhimento e classificação de risco. A classificação é uma ferramenta elaborada pelo Ministério da Saúde e utilizada para avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, potencial de risco, ou agravos à saúde. Deste modo, o protocolo prioriza o atendimento de pacientes classificados nas cores vermelho e amarelo, enquanto os demais, classificados em verde e azul, podem aguardar ou procurar as Unidades de Saúde e Pronto Atendimentos em seus respectivos municípios.



COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.