Beber álcool antes de dormir prejudica a qualidade do sono em até 40%

Além disso, o consumo de bebida alcoólica intensifica problemas ligados ao sono, como ronco, insônia e apneia

24/12/2018 17:10 - Atualizado em 24/12/2018 17:10


O consumo de bebida alcoólica já é conhecido por trazer diversos riscos à saúde, incluindo câncer. Para quem tem o hábito de beber antes de dormir como forma de relaxar depois de um dia cansativo, o álcool também pode prejudicar a qualidade do sono em até 40%, segundo estudo publicado em maio na revista JMIR Mental Health.

 

De acordo com especialistas, isso acontece porque a bebida acelera o início do sono, pulando fases importantes do processo.

 

Além disso, se beber antes de dormir se torna um hábito o organismo passa a se acostumar e será necessário doses cada vez maiores para conseguir efeito semelhante

 

O consumo de bebida alcoólica já é conhecido por trazer diversos riscos à saúde, incluindo câncer.

 

Para quem tem o hábito de beber antes de dormir como forma de relaxar depois de um dia cansativo, o álcool também pode prejudicar a qualidade do sono em até 40%, segundo estudo publicado em maio na revista JMIR Mental Health.

 

Outro problema é que muitas pessoas acordam no meio da noite para ir ao banheiro, por exemplo, e toda vez que se desperta, volta-se ao estágio inicial de sono, o que também atrapalha processos que só acontecem em fases mais profundas. O álcool ainda intensifica problemas ligados ao sono, como ronco, insônia e apneia.

 

Qualidade do sono

 

O estudo, realizado por uma universidade na Finlândia, mostrou que a baixa ingestão de álcool reduz a qualidade do sono em 9,3%, enquanto o consumo moderado diminui em 24%; já o consumo mais alto pode chegar a 39,2%.

 

Segundo os pesquisadores, os resultados foram semelhantes para homens e mulheres, afetando também indivíduos sedentários e ativos; entretanto, curiosamente, os efeitos nocivos do álcool foram mais pronunciados entre jovens em comparação com idosos.

 

A evidência mostra que, apesar de ser jovem e ativo, você ainda é suscetível aos efeitos negativos do álcool na recuperação durante o sono”, comentou Tero Myllymäki, um dos autores do estudo, ao Medical News Today.

 

Essas descobertas foram feitas através da análise de 4.098 pessoas com idade entre 18 e 65 anos. A pesquisa se baseou na observação de pelo menos duas noite de sono dos participantes: uma sem o consumo de álcool e outra com ingestão de bebida alcoólica.

Da Veja



COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.