Cobertura vacinal da gripe em SC está em apenas 52% nos grupos prioritários

“Temos vacinas disponíveis, seguras e eficientes contra a Covid-19 e contra a gripe", informa governador

Por Redação Oeste Mais

10/06/2022 17h15



A cobertura vacinal da gripe em Santa Catarina está em apenas 52% nos grupos prioritários, mas já chegou a mais de 90% em anos anteriores, informou nesta sexta-feira, dia 10, o governo do estado. Ao todo, 1.298.792 doses foram aplicadas até o momento.

 

Também há redução na busca de imunização contra a Covid-19. Atualmente, mais de 5,8 milhões de catarinenses completaram o esquema primário de vacinação, o que equivale a 86,1% da população vacinável. Porém, apenas 47,1% da população acima dos 18 anos recebeu a dose de reforço, que está liberada desde novembro de 2021.

 

O governador Carlos Moisés lembrou nesta sexta-feira que dados da Secretaria de Estado da Saúde indicam que o alto índice de internações hospitalares está diretamente ligado à baixa cobertura vacinal de crianças, adultos e idosos. Santa Catarina tem UTIs superlotadas em várias regiões.

 

“Temos vacinas disponíveis, seguras e eficientes contra a Covid-19 e contra a gripe. Novos casos de doenças respiratórias estão lotando hospitais e sobrecarregando o sistema. Em dois anos de pandemia, o governo mais que dobrou o número de leitos na rede pública, estamos abrindo mais 82, e não tem sido suficiente diante da demanda”, afirmou Moisés.

 

O principal alerta é para a população acima dos 50 anos. Segundo os dados do boletim epidemiológico da Covid-19, dos 77 óbitos por Covid em maio deste ano, 71 (92%) foram de pessoas dessa faixa etária. Nessa população, o esquema primário de duas doses ou dose única alcançou 98,2%, mas a cobertura da primeira dose de reforço ficou em 66,5%. Além disso, desde a semana passada, uma segunda dose de reforço passou a ser recomendada para uma maior proteção deste público-alvo, e menos de 10% das pessoas aptas já a recebeu.

 

A dose de reforço deve ser aplicada para todas as pessoas a partir dos 12 anos de idade, e 4 meses após completarem o esquema vacinal primário. As pessoas acima de 50 anos devem receber uma segunda dose de reforço 4 meses após a primeira dose de reforço.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.