Matriz de Risco Potencial é a melhor do ano em SC

Apenas a região Nordeste está em risco grave, 13 regiões apresentam risco alto e três têm risco moderado

Por Oeste Mais

25/09/2021 17h39 - Atualizado em 25/09/2021 18h12



Matriz de Risco da Covid-19 em SC (Foto: Divulgação)

A Matriz de Risco Potencial divulgada neste sábado, dia 25, pelo governo de Santa Catarina, não apresenta regiões em risco gravíssimo (cor vermelha) para a Covid-19 pela primeira vez em 2021. Apenas a região Nordeste está em risco grave (cor laranja), 13 regiões apresentam risco alto (cor amarela) e três foram reclassificadas para o risco potencial moderado (cor azul).

 

A partir desta semana, a matriz apresenta uma nova região de saúde, a do Vale do Itapocu, que foi separada da Nordeste. A incorporação foi definida em reunião da Comissão Intergestores Bipartite. “Dessa forma, nós ganhamos mais uma região na matriz e os indicadores que eram relativos à região Nordeste se dividem mostrando um certo alívio, principalmente do indicador de UTI”, explica Bianca Vieira, diretora de Tecnologia da Informação e Governança Eletrônica (Ditig).

 

As regiões em risco alto são Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Extremo-Oeste, Extremo Sul, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Laguna, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê. As regiões do Meio-Oeste, Serra e Vale do Itapocu foram classificadas em risco potencial moderado.

 

O principal objetivo da matriz de risco é ser uma ferramenta de tomada de decisão. Portanto, ajustes são necessários frente a dados que possuem deslocamento temporal retroativo. Assim, devido aos artefatos nos dados obtidos de outras instituições que tiveram contagens recentemente corrigidas, foi realizado um ajuste de cenários. A nota final do mapa de risco considera um intervalo de variação mais adaptado para cada nível, sendo de 1 a 1,9 como moderado, 2 a 2,9 como alto, 3 a 3,9 como grave e igual a 4 como gravíssimo.

 

De forma geral, vê-se um quadro de melhora em todo o estado. “É uma expectativa bastante alta de que essa melhora continue nas próximas semanas, sempre reforçando que depende da população se vacinar com a primeira e a segunda dose, afinal a imunização só vem com a segunda dose ou com a dose única”, comenta a diretora da Ditig.

 

De acordo com o boletim mais recente da pandemia, divulgado pelo governo neste sábado, dia 25, Santa Catarina já registrou 1.188.208 casos de pacientes que se infectaram pelo coronavírus. Do total, 1.160.398 se recuperaram e 8.624 seguem em acompanhamento. A doença já causou 19.186 no estado.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.