Cerca de 100 mil catarinenses estão com segunda dose da vacina contra Covid-19 atrasada

Estado recebeu mais 309.250 doses da vacina Oxford/AstraZeneca, e todas serão utilizadas como segunda dose

Por Oeste Mais

21/06/2021 09h40 - Atualizado em 21/06/2021 09h45



Santa Catarina recebeu neste domingo, dia 20, uma nova remessa com mais 309.250 doses da vacina Oxford/AstraZeneca. Todas serão utilizadas como segunda dose para completar a imunização das pessoas que já tomaram a primeira. Cerca de 100 mil catarinenses estão com a segunda dose da vacina atrasada.

 

O intervalo de aplicação entre a dose um e dois da Oxford/AstraZeneca é de 12 semanas. A Secretaria de Estado da Saúde vem reforçando o apelo para que as pessoas completem a imunização.

 

De acordo com dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SiPNI), do Ministério da Saúde, até o dia 14 de junho de 2021, 99.525 pessoas não haviam retornado no tempo adequado para a segunda dose da vacina. Do total, 57.124 são pessoas vacinadas com a Coronavac e 42.401 com a AstraZeneca.

Novas doses chegaram neste domingo para SC (Fotos: Ricardo Wolffenbüttel/Secom)

O superintendente de vigilância em saúde, Eduardo Macário, destaca a importância de completar o esquema vacinal com as duas doses da vacina para que a pessoa fique protegida da Covid-19. “Somente com a segunda dose é que as pessoas vão ficar protegidas, de forma duradoura, da doença. Portanto, é fundamental que todos aqueles que já receberam a primeira dose fiquem atentos à data correta de retorno para a aplicação da segunda dose, e não atrasem”, ressalta.

 

As mais de 309 mil doses recebidas pelo estado neste domingo vão ficar armazenadas na Rede de Frio Estadual, em São José, e serão distribuídas aos municípios ao longo do mês de julho, com o objetivo de completar os esquemas iniciados no período de 12 semanas.

 

Pensamento equivocado

 

O diretor de vigilância epidemiológica, João Augusto Brancher Fuck, acredita que o número de pessoas que não tomaram a segunda dose possa estar relacionado com o fato das pessoas acreditarem que apenas uma seja suficiente para a imunização e também com o esquecimento.

 

“Muitas pessoas tomam uma dose e acreditam que estão protegidas. Mas as vacinas contra a Covid-19 atualmente disponíveis no calendário de vacinação necessitam de duas doses para a efetiva proteção”, reforça.

 

No caso da Coronavac, o intervalo adequado é de 28 dias. Para quem tomou a AstraZeneca ou Pfizer, a segunda dose deve ser tomada após 12 semanas. “Cumprir esses prazos é importantes para a proteção”, conclui o diretor.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.