Oito estados têm sinais de alta nos casos de síndrome respiratória, diz Fiocruz

Segundo a fundação, 99% das mortes por SRAG em 2021 são relacionadas à Covid-19

Por Oeste Mais

21/05/2021 15h35 - Atualizado em 21/05/2021 15h35



Oito estados brasileiros que vinham apresentando redução do número de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) nas últimas semanas já apresentam tendência de reversão ou aumento. A afirmação consta no último Boletim InfoGripe da Fiocruz.

 

A SRAG pode ser causada por vários vírus respiratórios, mas, neste ano, cerca de 99% dos óbitos por SRAG são causados pela Covid-19. A análise foi feita baseada em números da semana 19, de 9 a 15 de maio.

 

+ Governo de Santa Catarina prevê agravamento da pandemia

 

"Diversos desses estados ainda estão com valores similares ou até mesmo superiores aos picos observados ao longo de 2020. Tais estimativas reforçam a importância da cautela em relação a medidas de flexibilização das recomendações de distanciamento para redução da transmissão de Covid-19", diz Marcelo Gomes, coordenador do Infogripe, em reportagem publicada pelo G1.

Estados brasileiros que tinham queda de casos já apresentam tendência de aumento (Foto: Reprodução/Infogripe)

Estados com sinais de aumento no longo prazo (6 semanas):

 

? Amazonas

? Maranhão

? Mato Grosso do Sul

? Paraíba

? Paraná

? Tocantins

 

Estados com sinais de aumento no curto prazo (3 semanas)

 

? Distrito Federal

? Rio de Janeiro

 

Estado com indícios de interrupção de queda:

 

? Bahia

? Espírito Santo

? Goiás

? Mato Grosso

? Pernambuco

? Rio Grande do Norte

? Rio Grande do Sul

? Santa Catarina

? Sergipe

? São Paulo

 

Estados com tendência de estabilização:

 

? Minas Gerais

? Piauí

 

Nesses dois últimos, segundo o Infogripe, os indícios não são tão claros quanto nos anteriores. Ainda segundo os pesquisadores, os boletins anteriores apontavam que, mesmo com a redução ou estabilidade, o número de casos permanecia alto.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.