Vacinação contra Covid-19 deve iniciar dia 20 de janeiro, dizem prefeitos após reunião com ministro da Saúde

Ministro da Saúde teve encontro com mais de 130 prefeitos para tratar do programa de imunização contra a Covid-19

Por Oeste Mais

14/01/2021 13h51 - Atualizado em 14/01/2021 14h12



Após uma reunião com o Ministério da Saúde nesta quinta-feira, dia 14, prefeitos disseram que, de acordo com o ministro Eduardo Pazuello, a vacinação contra a Covid-19 começará em todo o país na próxima quarta-feira, dia 20.

 

A data depende de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar o uso emergencial das vacinas Coronovac e Astrazeneca. A decisão da Anvisa sai no domingo, dia 17.

 

"De acordo com @ministropazuelo, próxima segunda chegam as 2 milhões de doses da Astrazeneca para estados. Há também as 6 milhões da Coronavac. Anvisa liberando domingo, distribuem na terça para iniciar na quarta, dia 20. Ou seja: 8 milhões de doses para janeiro", escreveu o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em uma rede social.

 

Nesta quinta-feira, o governo estadual confirmou que tem, atualmente, 3 milhões de agulhas e 9,5 milhões de seringas preparadas para iniciar a imunização contra Covid-19. Além dos insumos no estado, o governo afirmou que comprou mais 7 milhões de agulhas e 500 mil seringas. A expectativa é de que os produtos cheguem em até cinco dias.

 

Quem deverá receber a vacina

 

▪ Primeiro devem ser vacinados os trabalhadores da saúde, a população idosa a partir dos 75 anos de idade, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e a população indígena. A população estimada deste grupo é de 426.678 pessoas.

 

▪ Na segunda fase, a previsão é de que serão vacinadas pessoas de 60 a 74 anos. A população estimada deste grupo é de 844.644 pessoas.

 

▪ No terceiro momento, a imunização será em pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença, entre os quais portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares, entre outras. A população estimada deste grupo é de 1.365.028 pessoas.

 

▪ Na quarta, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional estão incluídos. A população estimada deste grupo é de 166.289 pessoas.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.