BioNTech afirma que pode fornecer em seis semanas a vacina contra o coronavírus

Tecnologia de vacina de RNA mensageiro facilita transição, de acordo com o cofundador da empresa

Por Oeste Mais

22/12/2020 16h59 - Atualizado em 22/12/2020 16h59



O laboratório alemão BioNTech, que em parceria com a americana Pfizer produziu uma vacina contra a Covid-19, anunciou nesta terça-feira, dia 22, que pode fornecer em seis semanas uma vacina adaptada à nova cepa do vírus registrada no Reino Unido.

 

Esse tipo de vacina funciona da seguinte forma: injeta-se no paciente uma cópia de parte do código genético do vírus. É uma espécie de receita para que o corpo produza uma proteína do vírus. A presença dessa proteína desencadeia a produção de anticorpos.

 

12,5 milhões de doses da vacina aprovada

 

BioNTech e Pfizer vão fornecer 12,5 milhões de doses da vacina contra Covid-19 para os países da União Europeia até o fim do ano, segundo o diretor de negócios da empresa alemã, Sean Marett.

 

A vacina exige duas doses, com três semanas de intervalo entre elas. Portanto, isso significa que, nesse primeiro momento, será possível imunizar 6,25 milhões de pessoas.

 

Os 27 países membros da União Europeia vão começar a campanha no dia 27 de dezembro. Em setembro, a empresa alemã comprou uma fábrica na cidade de Marburg, na Alemanha. Em fevereiro de 2021, a produção deverá começar lá também. A unidade terá capacidade para 750 milhões de doses por ano.



Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.