Mais do que dobra número de casos de Covid-19 em apenas um mês em Ponte Serrada

Município chegou a zerar os casos ativos da doença no boletim do dia 20 de outubro

Por Jhonatan Coppini

25/11/2020 08h53 - Atualizado em 25/11/2020 09h17



O município de Ponte Serrada está registrando o maior número de casos ativos de Covid-19 nas últimas semanas desde o início da pandemia. Até esta terça-feira, dia 24, conforme o boletim municipal, 319 casos tinham sido registrados na cidade, com 74 ativos. Sete pessoas já morreram em decorrência da doença respiratória.

 

Ponte Serrada mais do que dobrou o número de casos registrados em um intervalo de um mês. No dia 20 de outubro, inclusive, a cidade havia zerado o número de casos ativos. Naquela data havia somente seis casos suspeitos e duas mortes a menos. O total de casos confirmados era de 144.

 

Conforme o boletim desta terça-feira, dos 74 casos ativos de Covid-19, quatro pacientes estão internados. Há outros 46 suspeitos, sendo dois pacientes internados. O restante dos infectados permanece em isolamento domiciliar.

 

Grupo de enfrentamento à Covid-19

 

Um grupo de enfrentamento à Covid-19 atua no município. O órgão se reúne semanalmente ou quinzenalmente, conforme a necessidade, para definir ações e estratégias de combate ao vírus. O grupo é formado pela Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária, equipe de enfermeiras da Secretaria de Saúde, além da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, Conselho de Saúde e do próprio Ministério Público.

 

Entre as estratégias adotadas, um carro de som está passando diariamente nas ruas da cidade transmitindo informações sobre os cuidados necessários para evitar a propagação do vírus. Visitas no comércio também vêm ocorrendo nos últimos dias, incluindo agências bancárias.

Boletim municipal desta terça-feira, dia 24 (Foto: Reprodução)

Segundo a enfermeira Edina Gugel, cada posto de saúde monitora as famílias com pessoas suspeitas ou diagnosticadas com Covid-19. Um termo de isolamento é assinado pelo paciente infectado. O documento expressa orientações sobre os cuidados que devem ser tomados.

 

A Vigilância Epidemiológica também tem uma equipe de plantão nos finais de semana. Edina ainda informa que a quantidade de testes está satisfatória. “A única dificuldade é o tempo do resultado do exame do PCR, porque nós encaminhamos ele para o Lacen, que está abarrotado de exames, e o Lacen manipula todos os testes da macrorregião de Chapecó”, explica.

 

A qualquer suspeita, a orientação é procurar o posto de saúde da área de referência. Segundo a enfermeira, o médico é quem avalia a necessidade de realização do teste. “Não é [o paciente] querer, precisa se enquadrar nos critérios para se fazer a coleta, por isso sempre passa pela consulta de avaliação para verificar a necessidade de realização do teste”, complementa.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.