Capital catarinense tem 84,6% dos leitos de UTI ocupados

Dos 235 leitos existentes para adultos e crianças, há 36 disponíveis

Por Oeste Mais

29/06/2020 11h04 - Atualizado em 29/06/2020 11h04


Florianópolis atinge 84,6% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neste domingo, dia 28. Dos 235 existentes para adultos e crianças, há 36 disponíveis. Segundo os dados da prefeitura da capital, 168 espaços estão ocupados e 31 constam como "indisponíveis". Este número contempla vagas para diferentes tipos de doença e atendimentos. A situação do coronavírus nos últimos dias preocupa, principalmente com a pressão sobre as unidades médicas.

 

Na sexta-feira, dia 26, a secretaria municipal de Saúde e Associação Catarinense de Medicina (ACM) chamaram uma reunião para esta segunda-feira com os diretores de hospitais da Grande Florianópolis. O encontro ainda espera pela confirmação dos convidados, mas está marcado para as 17 horas, na sede da ACM.

 

​O alto índice de ocupação de leitos de UTI levou a equipe da secretaria da capital catarinense a se reunir na tarde de domingo para analisar os dados. Segundo o secretário da pasta, Carlos Alberto Justus, possíveis ações serão discutidas com os hospitais nesta segunda-feira. No aspecto econômico, a semana continua com as restrições impostas na última quarta-feira, dia 24, pelo decreto do prefeito Gean Loureiro. Entidades pressionam pela reabertura, mas a retomada será discutida apenas na quarta-feira, dia 1º.

 

​Segundo o jornalista Cristian Weiss, que analisa diariamente os dados do coronavírus em Santa Catarina, a última semana (entre domingo, dia 21, e sábado, dia 27) foi a mais grave no estado desde o começo da pandemia:

 

“Morreram 50 pessoas, média de sete por dia. O pico de mortes de toda a pandemia foi na quarta-feira, 24 de junho, com 13 mortes. O dia que teve menos mortes foi na sexta-feira, quando quatro pessoas morreram. É possível que esses números ainda aumentem, com a inserção de casos que aguardam confirmação pelo Lacen (Laboratório Central)”.

 

Em relação a casos confirmados, junho teve 11.671 registrados, conforme a data de aparecimento dos sintomas. Weiss destacou que esse dado é 31,2% maior do que o total de casos registrados em maio.

Com informações do NSC Total

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.