Trabalhadores de frigoríficos são mais da metade dos infectados por Covid-19 em Concórdia

Dos 176 casos, 94 são de pessoas que trabalham nesse tipo de indústria

Por Oeste Mais

08/05/2020 09h21 - Atualizado em 08/05/2020 09h23



Dos 176 casos de Covid-19 registrados até esta quinta-feira, dia 7, em Concórdia, mais da metade envolve trabalhadores de frigoríficos, informa uma reportagem publica pelo G1 de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira, dia 8. Do total, 94 pessoas trabalham nesse tipo de indústria.

 

O governo de Santa Catarina anunciou nesta quinta-feira, dia 7, restrições para a prevenção do coronavírus na região do Alto Uruguai, onde está localizado o município. As medidas incluem o fechamento do comércio não essencial por 14 dias e o uso obrigatório de máscaras.

 

A situação também foi tema de reunião da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (Alesc) com o setor e as secretarias de Estado da Saúde e da Agricultura. Na ocasião, a Associação Catarinense de Avicultura (Acav) e o Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados (Sindcarne-SC) disseram que os frigoríficos adotaram protocolos rigorosos, sob orientação médica.

Profissionais que trabalham em frigorífico estão entre a maioria dos infectados por Covid-19 em Concórdia (Foto: Divulgação)

O primeiro caso de coronavírus registrado em Concórdia foi em 11 de abril, de uma mulher contratada por um frigorífico em Ipumirim, município vizinho. Uma semana depois começaram a aparecer casos na indústria de carne em Concórdia.

 

Para o prefeito Rogério Luciano Pacheco, não é possível afirmar que os trabalhadores contraíram o vírus dentro do frigorífico da cidade. "Desde aquele momento [primeiro caso confirmado em Concórdia], a prefeitura vem cobrando a eficiência da indústria na prevenção, de não aglomeração, desinfecção do espaço, do uso de máscaras", disse.

 

O presidente do Sindicato da Alimentação de Concórdia e Região, Jair Baller, confirmou que há casos da doença em funcionários da indústria da carne no município e em Ipumirim, mas não tinha informação sobre quantos testaram positivo.

 

De acordo com o prefeito, foi feita uma inspeção da Vigilância Epidemiológica estadual no frigorífico, que é da BRF, no dia 28 de abril, e foi dado prazo até 3 de maio para serem feitas adequações.

 

A empresa disse em nota que foram adotadas normas como uso de máscaras, distanciamento mínimo entre funcionários, medição de temperatura, afastamento de quem é do grupo de risco e de casos suspeitos e reforço de higienização, entre outras.

 

Há duas mortes por coronavírus em Concórdia. Segundo o município, nenhuma das vítimas fatais trabalhava em frigorífico.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.