Passos Maia chega a 19 focos do Aedes aegypti e deve entrar na lista de municípios infestados

Focos já foram localizados em praticamente todas as regiões da cidade, com exceção do Loteamento Nilde Bresciani

Por Jhonatan Coppini

22/06/2019 12h48 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Equipes fazem monitoramento, mas moradores precisam contribuir para evitar possíveis criadouros do mosquito (Foto: Divulgação)

O número de focos do mosquito Aedes aegypti já chega a 19 desde o início do ano em Passos Maia, segundo levantamento da Vigilância Epidemiológica do município. O órgão informa que foram encontrados focos em praticamente todas as regiões da cidade. O único local ainda sem registro é o Loteamento Nilde Bresciani.

 

Embora ainda não apareça de forma oficial no último boletim de municípios infestados por focos em Santa Catarina, os 19 encontrados em Passos Maia são suficientes para que o município conste no próximo relatório divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), informa a secretária de Saúde, Nilvania Bortolini de Oliveira.

 

Ela explica que a equipe agora aguarda orientações da Dive para montar uma provável sala específica, contratar pessoas e aperfeiçoar a estratégia de combate. “Mas tudo isso a gente vai aguardar o que o estado vai nos passar. O que eu vou adiantar para a população é que vai ser feita uma ação um pouco mais rígida”, ressalta.

 

Orientações para evitar focos

 

▪ Vedar tanques de armazenamento de água

▪ Evitar plantas que acumulem água

▪ Realizar tratamento de água com cloro

▪ Limpar piscinas ao menos uma vez por semana

▪ Manter ralos fechados

▪ Potes devem ser limpos com escova para retirar os ovos do mosquito

▪ Limpeza de lajes e calhas

▪ Evitar acúmulo de entulho

 

Falta de cuidado

 

A falta de cuidado de muitos moradores vai na contramão do esforço da equipe da Secretaria de Saúde do município, que passa com frequência vistoriando imóveis. “A nossa preocupação continua porque a população é que precisa ser consciente. A gente não gostaria de tomar medidas muito drásticas porque são pessoas que a gente conhece, estão no nosso meio, é só uma questão de bom senso mesmo”, avalia Nilvania.

 

Mas vigora desde 2010 uma lei estadual impondo que proprietários ou locatários de imóveis residenciais e comerciais, públicos e privados, adotem medidas para evitar a existência de criadouros do Aedes aegypti. A punição financeira inclusive é prevista para os casos de permanência das infrações mesmo após as orientações da equipe. O valor da multa é de R$ 500.

 

Sintomas e orientações

 

Apesar do número de focos do mosquito em Passos Maia, nenhum paciente foi registrado com dengue no município. Em Santa Catarina já são 987 casos confirmados.

 

O médico da Secretaria de Saúde de Passos Maia, Antonio Castiglioni, lembra que a qualquer sinal da doença, o paciente não deve tomar medicação por conta. “A dengue é muito confundida com uma gripe forte. Muitos pacientes procuram a gente com sintomas de gripe e pode ser dengue”, alerta.

 

Febre alta, dor de cabeça, dores no corpo e fraqueza estão entre os principais sinais de dengue. Mas a doença pode evoluir para quadros hemorrágicos e causar inclusive a morte.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.