Empresas do Oeste são multadas por descaso no combate ao mosquito Aedes aegypti

Autuações da Vigilância Sanitária foram aplicadas contra dez empresas em São Miguel do Oeste

Por Oeste Mais

29/05/2019 10h32 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Dez empresas de São Miguel do Oeste foram multadas pela Vigilância Sanitária por descumprirem medidas de segurança para evitar a proliferação de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

 

As empresas teriam, por exemplo, deixado água parada em sucatas e pneus. Foram aplicados mais de R$ 10 mil em multas pela falta de adequação após receberem a notificação. Os valores variam entre R$ 1.300 e R$ 650.

 

Caso os empresários não paguem o valor passado pela Prefeitura, terão o nome incluído na dívida ativa, que é o conjunto de débitos de pessoas físicas e jurídicas, junto ao município, Estado e União. Os casos também podem ser encaminhados para o Ministério Público.

 

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), em todo o estado são 710 casos de dengue, 609 deles contraídos dentro de Santa Catarina, conforme a Dive-SC. Além de Itapema, as cidades com mais pacientes infectados no próprio município são as duas cidades vizinhas, Camboriú, com 106 casos, e Porto Belo, com 45, além de Cunha Porã, no Oeste, com 30, e Itajaí, com 16.

Do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.