Já chegam a 182 casos suspeitos de dengue nas primeiras semanas de janeiro

Novo relatório foi divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica

Por Oeste Mais

24/01/2017 09h49 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) divulgou o segundo boletim do ano sobre a situação da dengue, febre chikungunya e zika vírus no estado. Os dados são referentes à Semana Epidemiológica de 1º a 14 de janeiro de 2017.

 

No período, segundo o documento divulgado nesta segunda-feira, dia 23, foram notificados 182 casos suspeitos de dengue em Santa Catarina. Do total, 54 (30%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 128 (70%) casos suspeitos estão em investigação.

 

Os casos foram notificados nos municípios de Agronômica, Anchieta, Araranguá, Balneário Camboriú, Bandeirante, Biguaçu, Blumenau, Bombinhas, Brusque, Caçador, Camboriú, Campo Erê, Canelinha, Canoinhas, Chapecó, Cocal do Sul, Coronel Freitas, Florianópolis, Galvão, Garuva, Guaraciaba, Guaramirim, Ibirama, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages, Mafra, Mondaí, Palhoça, Pinhalzinho, Pomerode, Rio Negrinho, São Bento do Sul, São Domingos, São José, São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Ludgero, São Miguel do Oeste, Tijucas, Timbó, Timbó Grande, Tubarão, Vargem, Xanxerê e Xaxim.

 

Febre de chikungunya

 

No período de 1 a 14 de janeiro 2017 foram notificados 35 casos suspeitos de febre de chikungunya em Santa Catarina. Desses, quatro (11%) foram descartados e 30 (86%) permanecem como suspeitos. Um (3%) está aguardando definição do Local Provável de Infecção (LPI).

 

Os casos foram notificados nos municípios de Anchieta, Balneário Camboriú, Brusque, Camboriú, Canoinhas, Cocal do Sul, Florianópolis, Guaraciaba, Guaramirim, Itajaí, Mafra, São Domingo, São José, São José do Cedro, São Miguel do Oeste e Tijucas.

 

Zika vírus

 

No mesmo período foram notificados sete casos suspeitos de zika vírus no estado, sendo que todos permanecem em investigação. Os casos foram notificados nos municípios de Florianópolis e Guaraciaba.

 

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

 

- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;

- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

- Mantenha lixeiras tampadas;

- Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

- Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;

- Mantenha ralos fechados e desentupidos;

- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

- Retire a água acumulada em lajes;

- Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;

- Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

- Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue;

- Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

- Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.