Morte por dengue é confirmada por exame em professor universitário

Caso em Chapecó resultou na primeira morte pela doença neste ano em SC

Por Jeferson Rubens Coppini

25/03/2016 11h34 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Alisson Klam era casado e pai de uma menina e um menino (Foto: Arquivo Pessoal)

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), informou que o Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, confirmou o diagnóstico laboratorial de dengue para o óbito do professor Alisson Klam, de 37 anos, que morava em Chapecó. O falecimento ocorreu no último dia 13.

 

Como se tratava de um óbito suspeito de dengue, foi realizada uma investigação conjunta entre as secretarias estadual e municipal de Saúde, utilizando o Protocolo de Investigação de Óbitos por Dengue do Ministério da Saúde. Os resultados da investigação epidemiológica, aliada à confirmação laboratorial do caso, confirmam o primeiro óbito por dengue registrado no estado.

 

Alisson era professor universitário. Segundo a família, o homem apresentou os sintomas no dia 7 de março, mas piorou o quadro de saúde e teve que ser hospitalizado. Ele teve três paradas cardíacas e foi transferido para um hospital privado, onde morreu.

 

Casado e pai de uma menina e um menino, Alisson era professor do curso de administração da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

 

O caso deve servir de alerta para a necessidade da busca por atendimento imediato em caso de sintomas de dengue (febre alta, dores pelo corpo, mal estar, além da importância das ações de prevenção, eliminando possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.