Suplente vai assumir cadeira no Legislativo após renúncia de vereador que foi preso

Antônio de Medeiros entrará oficialmente no lugar de Lucas Sernajoto na sessão da próxima segunda-feira

Por Oeste Mais

01/05/2019 09:38 - Atualizado em 01/05/2019 09:41



Suplente de vereador Antônio de Medeiros vai assumir na sessão da próxima segunda-feira (Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores)

A presidente da Câmara de Vereadores de Abelardo luz, Queila Baretta, convocou o suplente de vereador Antônio de Medeiros (PTB), cumprindo o regimento interno do Legislativo, para que ele ocupe a vaga deixada após a renúncia de Lucas Sernajoto, ocorrida na última sexta-feira, dia 26.

 

Silvame, como é conhecido, recebeu 249 votos e ficou como primeiro suplente da coligação Pelo Povo, Trabalho e Transparência, no pleito de 2016.

 

Está é a terceira vez que ele assume uma cadeira na atual legislatura. No ano passado, o vereador do PTB assumiu o cargo como suplente por 30 dias, em virtude do afastamento de Carlinhos de Sennes. Em 2017, tomou posse quando o atual presidente do Legislativo, Lucas Sernajoto, assumiu a Prefeitura de Abelardo Luz em abril. O suplente de vereador ficou no Legislativo até o fim da eleição suplementar que aconteceu em setembro daquele ano.

 

A posse deve acontecer na próxima sessão, segunda-feira, dia 6, às 20 horas, no plenário Arno de Andrade.

Lucas Sernajoto renunciou ao cargo de vereador no dia 26 de abril (Foto: Divulgação)

Prisão e renúncia

 

O então vereador Lucas Sernajoto renunciou ao cargo por meio de um documento de renúncia protocolado pelo advogado dele, Joacir Correa, na secretaria da Câmara de Vereadores, na última sexta-feira, dia 26.

 

A decisão foi tomada uma semana após ele ter sido preso preventivamente no dia 19 de abril, após capotar uma viatura da Polícia Civil no interior de Abelardo Luz.

 

Segundo o Ministério Público (MP), antes de capotar o carro, o policial e vereador teria, junto com um amigo, ido até o interior da cidade e ameaçado a ex-mulher desse amigo. Ainda conforme o MP, tiros desferidos com armas da Polícia Civil teriam sido disparados no local. Ninguém se feriu.

 

Contraponto

 

O delegado responsável pelo caso, Carlos Augusto de Andrade Morbini, que também é diretor da Polícia de Fronteira, afirma que Sernajoto negou a ingestão de bebida alcoólica e disse que os tiros foram dados para cima.

 

“Um inquérito policial foi instaurado e, conjuntamente com o poder Judiciário e o Ministério Público local, faremos todo esforço possível para que as circunstâncias do fato estejam no inquérito policial que, no mais curto espaço de tempo, será remetido ao poder Judiciário de Abelardo Luz”.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.