Representando Amai, Tibe reforça pedido de permanência da Regional de Saúde de Xanxerê

Prefeito de Ponte Serrada entregou pleito ao secretário de Estado da Saúde durante reunião em Florianópolis

Por Oeste Mais

22/02/2019 08:35



Preito da Amai foi entregue por prefeito de Ponte Serrada ao secretário de Estado da Saúde (Foto: Divulgação/Amai)

Representando a Câmara de Saúde da Amai (Associação dos Municípios do Alto Irani), o prefeito de Ponte Serrada, Alceu Alberto Wrubel (Tibe), entregou ao secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, um pleito da região pela permanência da 5ª Regional de Saúde de Xanxerê (5ª Gersa). O pedido foi reforçado durante a reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada nesta quinta-feira, dia 21, em Florianópolis.

 

“No documento que entregamos ao secretário, apresentamos diversas informações e números que justificam a necessidade da gerência continuar a existir em Xanxerê, entendemos que é preciso enxugar a máquina pública, mas a saúde é prioridade nos municípios, não podemos concordar com decisões que prejudiquem o atendimento à nossa população”, disse Tibe.

 

A Amai tem defendido a manutenção da Regional de Xanxerê desde a posse do novo governo do estado. Na semana passada, a prefeita de São Domingos e presidente da associação, ELiéze Comachio, participou de um encontro com o deputado estadual Neodi Saretta para tratar do assunto, que também estará na pauta da próxima assembleia de prefeitos da Amai.

 

A Gersa Xanxerê foi a primeira regional de saúde instituída em Santa Catarina. A demanda foi apresentada pela Amai em 1996, visando um atendimento de mais qualidade para a região. As gerências possuem funções técnicas que vão desde a orientação básica ao atendimento físico direto, o que engloba capacitações, fiscalização, supervisão, acompanhamento e orientação sobre o Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Durante a visita a Florianópolis, o prefeito de Ponte Serrada também aproveitou para pedir recursos financeiros do estado para apoio à saúde do município e equipamentos para colocar em funcionamento o Hospital Público Municipal.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.