Decreto oficializa desativação de ADRs em Santa Catarina

Documento aponta que todo o processo de desativação deverá estar concluído até 30 de abril

Por Oeste Mais

22/01/2019 08:55 - Atualizado em 22/01/2019 09:49


A desativação das 20 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) foi oficializada em um decreto assinado pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, nesta segunda-feira, dia 21. O documento detalha a forma como a desarticulação será feita, sob a coordenação de um grupo composto por representantes de diversos órgãos do governo.

 

De acordo com o decreto, todo o processo de desativação das ADRs deverá estar concluído até o dia 30 de abril. A extinção definitiva será objeto da reforma administrativa, a ser encaminhada à Assembleia Legislativa em fevereiro.

Governador de SC fez transmissão ao vivo nas redes sociais (Foto: Peterson Paul/Casa Civil)

“É uma promessa que estamos cumprindo, a de entregar um estado mais leve, ágil, eficiente”, resumiu o governador, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

 

Na tarde desta segunda-feira, após anunciar a publicação do decreto, o governador recebeu na Casa d’Agronômica o prefeito de Tubarão e presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Joares Ponticelli. Ele elogiou a extinção das ADRs e sugeriu que as 21 associações de municípios tenham participação ativa na interlocução com a gestão estadual.

 

“Foram reuniões muito produtivas. Foi importante ouvir do governador a disposição para discutir essa nova estrutura que está sendo construída a quatro mãos, com a Fecam participando ativamente do processo. Quem ganha com isso é Santa Catarina”, avaliou o presidente da Fecam.

 

ADRs que serão desativadas

 

- Joinville

- Blumenau

- Chapecó

- Criciúma

- Itajaí

- Lages

- Araranguá

- Campos Novos

- Concórdia

- Curitibanos

- Jaraguá do Sul

- Joaçaba

- Mafra

- Rio do Sul

- São Miguel do Oeste

- Tubarão

- Videira

- Xanxerê

- Maravilha

- São Lourenço do Oeste


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.