Pesquisa mostra Bolsonaro na frente de Moro e Lula na disputa presidencial de 2022

Presidente venceria em todos os cenários se eleições fossem agora, segundo Paraná Pesquisas

Por Oeste Mais

04/05/2020 12h44


O presidente Jair Bolsonaro é escolhido pela maior parte dos brasileiros (27%) para a presidência da República em 2022, segundo indica um levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas, divulgado no final de semana. Logo após, viria o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, com 18,1%; Fernando Haddad (PT), com 14,1%, e Ciro Gomes, com 10,3%.

 

Na segunda situação eleitoral, que inclui o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro também sairia à frente, com 26,3%, contra 23,1%. Na terceira simulação, Moro fica de fora e Bolsonaro lidera com ainda mais folga: 29,1% contra 15,4% do segundo colocado, Fernando Haddad.

 

Ao analisar cada candidato individualmente, 2,9% respondeu que com certeza votaria em Haddad para presidente, 30,7% que poderia votar, e 63,1% não votaria de jeito nenhum.

 

Em relação a Ciro Gomes (PDT), os percentuais para as mesmas respostas foram 3,7%, 35,1% e 54,9%, respectivamente.

 

Falando de Bolsonaro, 20,6% responderam que com certeza votariam nele, 29,6% que poderiam votar e 48,6% que não votariam de jeito nenhum. Para Moro, 12,4% disseram ter certeza, 44,1% poderiam votar e 35,7% não o escolheriam de jeito nenhum.

 

Apenas 1,3% votariam com certeza em João Doria (PSDB), 27,2% considerariam o tucano e 62,7% nunca optariam por ele. Já o apresentador Luciano Huck recebeu, nas mesmas perguntas, 2,9%, 36,9% e 57,4%, respectivamente.



O levantamento de dados foi feito através de entrevistas telefônicas com eleitores com 16 anos ou mais em 26 estados e Distrito Federal e em 182 municípios brasileiros, entre os dias 27 e 29 de abril.

 

Na Região Sudeste, foram realizadas 873 entrevistas; na Região Nordeste, 540 entrevistas; na Região Norte + Centro-Oeste, 301 entrevistas; e na Região Sul, 292 entrevistas.

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.