Novo diretor da Polícia Federal é nomeado por Bolsonaro

Segundo agência Reuters, Ramagem participou da escolha do novo chefe da PF a pedido do presidente

Por Oeste Mais

04/05/2020 11h34 - Atualizado em 04/05/2020 11h34


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) escolheu o delegado Rolando Alexandre de Souza, número 3 da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), para comandar a Polícia Federal. A nomeação do novo diretor-geral da instituição foi anunciada hoje em decreto publicado no Diário Oficial da União.

 

A opção foi feita depois que o STF (Supremo Tribunal Federal) barrou a seleção de Alexandre Ramagem, amigo pessoal da família Bolsonaro, para o cargo. Segundo a agência Reuters, Ramagem participou da escolha do novo chefe da PF a pedido do presidente.

Rolando Alexandre de Souza é o novo diretor-geral da PF (Foto: Reprodução/Diário da Grande Recife)

A escolha era dada como certa na noite de ontem no Palácio do Planalto, dependia apenas de o presidente da República não mudar de ideia na última hora. Segundo uma fonte militar, a nova nomeação de Ramagem, de quem Souza é próximo, estava descartada. "Nem pensar: chega de confusão", confidenciou.

 

Forças aliadas do presidente insinuaram ontem que ele poderia, em ato contrário à decisão do STF, forçar a nomeação de Ramagem nesta segunda, o que levaria a um acirramento de uma prenunciada "ruptura institucional".

 

Bolsonaro, no entanto, foi aconselhado a buscar uma alternativa pacífica enquanto o governo se empenha em elaborar estratégias jurídicas para reverter a decisão no Supremo.

 

De acordo com a agenda do presidente, a assinatura do termo de posse de Souza estava marcada para esta manhã, entre 10h e 10h20.

 

O presidente já deu sinais claros de que brigará até o fim na tentativa de emplacar Ramagem no comando da PF. Na visão dele, a Corte constitucional invadiu competência privativa do chefe do Executivo ao proferir decisão liminar e impedir a nomeação.

Com informações do UOL

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.