Bolsonaro diz que Moro propôs aceitar demissão de diretor da PF se fosse indicado ministro do STF

Ministro da Justiça deixou o governo alegando interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal

Por Oeste Mais

24/04/2020 19h13 - Atualizado em 02/05/2020 13h54


Presidente fez pronunciamento nesta sexta-feira (Foto: Claudio Reis/FramePhoto/Folhapress)

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento no final da tarde desta sexta-feira, dia 24, no qual afirmou que o ex-ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, disse a ele que aceitaria a substituição do diretor-geral da Polícia Federal, mas somente em novembro, depois que fosse indicado para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal.

 

Mais cedo, nesta sexta, Sergio Moro anunciou demissão do cargo porque, segundo o ex-ministro, Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal ao decidir demitir o diretor-geral da Polícia Federal, Mauricio Valeixo. Moro não aceitou.

 

No pronunciamento, em resposta à manifestação de Sergio Moro pela manhã, Bolsonaro afirmou que Moro condicionou a substituição de Mauricio Valeixo à indicação dele, Moro, para ministro do STF.

 

Após o pronunciamento do presidente, Moro contestou a afirmação. "A permanência do Diretor Geral da PF, Maurício Valeixo, nunca foi utilizada como moeda de troca para minha nomeação para o STF. Aliás, se fosse esse o meu objetivo, teria concordado ontem com a substituição do Diretor Geral da PF", disse o ex-ministro em uma rede social.

 

Bolsonaro também afirmou no pronunciamento que não tem que pedir autorização a ninguém para trocar algum ocupante de cargo no poder Executivo. O presidente também falou que pedia a Moro, mas nunca obteve um relatório diário das atividades da PF para poder tomar decisões de governo.

 

Bolsonaro também reclamou que durante a gestão de Moro, a PF estava mais preocupada em investigar o assassinato da vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, que o atentado sofrido por ele durante a campanha eleitoral. Por fim, o presidente disse que se Moro queria ter independência e autoridade, deveria se candidatar.

Com informações do G1

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.