Preso por atropelar e matar jovem diz que queria dar 'susto nos meninos'

Três pessoas ficaram feridas e uma morreu no dia 28 de agosto em Joaçaba

Por Oeste Mais

15/09/2016 13:12 - Atualizado em 31/01/2018 23:11



Atropelamento ocorreu no acostamento da BR-282 em Joaçaba (Foto: Éder Luiz/Divulgação)

A defesa do motorista de 23 anos preso suspeito de atropelar quatro jovens na saída de uma festa de formatura em Joaçaba, no dia 28 de agosto, alega que o suspeito só queria dar "um susto nos meninos". Andrei Fabrício Ramos, de 16 anos, morreu no local.

 

Os quatro garotos foram atingidos no km 391 da BR-282, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Três deles foram hospitalizados e tiveram alta ainda no dia 28 de agosto. De acordo com a Delegacia de Polícia de Joaçaba, o atropelamento ocorreu por volta das 4h30. O motorista está preso preventivamente desde as 8h30 do dia 28 de agosto no Presídio de Joaçaba.

 

Conforme o advogado de defesa, Leonardo Buchmann, foi solicitado o habeas corpus do suspeito na quarta-feira, dia 14, ao Tribunal de Justiça, que será avaliado em um prazo de 30 dias. "A primeira pergunta que fiz quando assumi o caso foi qual seria a motivação. Ele me disse: 'doutor, eu não tive intenção. Eu fui dar um susto nos meninos'. Ouve um 'entrevero' na saída da formatura e os meninos jogaram um copo de bebida no carro do meu cliente", conta o advogado.

 

Segundo ele, na versão do suspeito, depois do copo arremessado houve agressão verbal de ambos os lados, sem contato físico. O suspeito teria saído de carro em direção a Joaçaba, quando lembrou que teria que voltar para buscar um amigo na formatura.

 

"Quando ele retornou para festa, os quatro estavam no acostamento na contramão da rodovia. O jovem que morreu era o primeiro entre o asfalto e o acostamento. Eu acredito que ele só queria dar um susto porque, se tivesse a intenção de matar, teria jogado o carro inteiro no acostamento, mas só duas rodas passaram por ali", falou Buchmann.

 

Ainda segundo o advogado, o motorista não estava alcoolizado e não foi solicitado o bafômetro ou exame de sangue, que ele teria se disposto a fazer. À polícia, na manhã em que foi preso, o suspeito afirmou que tinha bebido e não tinha pensado nas consequências do ato, informou a delegacia.

 

Versão da polícia

 

À polícia, os três jovens que sobreviveram também informaram que uma discussão por um suposto arremesso de um copo de cerveja teria motivado o atropelamento.

 

Ainda de acordo com os depoimentos das testemunhas à Polícia Civil, o crime foi proposital. Os homens relataram que primeiro o motorista passou de carro ao lado deles e os identificou. "Depois retornou e propositalmente os atingiu", disse o delegado.

 

As vítimas e o suspeito não se conheciam antes da suposta discussão em frente à festa. De acordo com o delegado, um passageiro que estava dentro do carro envolvido no acidente já conhecia as vítimas. O suspeito foi autuado por homicídio qualificado e três tentativas de homicídio.

G1/SC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.