Ministério Público abre inquérito para apurar suposto aumento irregular nas contas de luz

Celesc justifica que a alteração ocorreu por causa do maior consumo de energia registrado no período de leitura

Por Oeste Mais

25/01/2019 16:02 - Atualizado em 25/01/2019 18:10



O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) abriu um inquérito civil para apurar o suposto aumento irregular nas contas de luz.

 

A abertura da investigação ocorreu após uma série de reclamações de consumidores sobre os valores cobrados na fatura de energia emitida neste mês.

 

A Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) justifica que a alteração ocorreu por causa do maior consumo de energia registrado no período de leitura em cada unidade consumidora.

 

O MPSC convocou para segunda-feira, dia 28, uma reunião entre Celesc, Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) municipais e estadual, como o objetivo de constatar as medidas que estão sendo tomadas para ajudar aos consumidores que se sentem lesados.

 

Ainda nesta tarde, o MPSC informou que pretende enviar um ofício pedindo explicações à Celesc, que deverá comprovar que houve aumento de consumo em função das altas temperaturas e das férias.

 

Caso isso não ocorra, o MPSC poderá intervir e fazer uma perícia técnica para analisar se houve algum equívoco no sistema de cobrança da Celesc durante o período.

 

Reclamações dos consumidores

 

Muitos consumidores reclamam desde o início do mês das contas de luz que vieram com tarifas mais altas. Algumas pessoas alegam, inclusive, que não estavam em casa no período e que mesmo assim a cobrança aumentou.

 

A Celesc reitera que a tarifa de energia elétrica não é reajustada desde agosto de 2018, data do reajuste anual das tarifas da Celesc, e orienta que os clientes confiram atentamente o histórico de consumo e o período de apuração da leitura na fatura recebida.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.