Ex-deputado João Pizzolatti é preso em clínica de reabilitação na Grande Florianópolis

Auditor da Secretaria de Estado da Fazenda estava foragido desde o dia 8 de maio

18/05/2019 09:53



João Pizzolatti foi preso em clínica de reabilitação em São José (Foto: Paulo Mueller/NSC TV)

O ex-deputado federal João Pizzolatti, que estava foragido desde 8 de maio, foi preso preventivamente por volta das 15h30 desta sexta-feira, dia 17, em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos em São José, na Grande Florianópolis, informou a Polícia Civil. O ex-parlamentar é auditor fiscal na Secretaria de Estado da Fazenda.

 

A advogada Helen Beal, que defende Pizzolatti, disse que acompanha o fato. A defesa pediu na tarde de sexta-feira a revogação da prisão preventiva, mas até o horário do cumprimento do mandado ainda não havia decisão judicial sobre a solicitação.

 

Pizzolatti teve a prisão decretada por ter descumprido uma medida cautelar ao ser flagrado dirigindo mesmo com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa. Ele é réu por tentativa de homicídio doloso e embriaguez ao volante, em processo relacionado a um acidente de trânsito ocorrido em dezembro de 2017.

 

O carro dirigido por Pizzolatti invadiu a pista contrária na SC-421 em Blumenau e atingiu dois automóveis. Na época, ele admitiu que estava bêbado. Um homem ficou gravemente ferido e precisou fazer 11 cirurgias, após ter sofrido fraturas e queimaduras de segundo e terceiro graus.

 

Mesmo depois de ter a carteira suspensa, o veículo de Pizzolatti foi flagrado circulando em Timbó, também no Vale do Itajaí. No ano passado, as multas do ex-deputado somaram 29 pontos, mais do que o limite permitido. Uma por dirigir falando ao celular e outras cinco por estar acima da velocidade. A próxima audiência do processo está marcada para o dia 17 de junho.

 

Pizzolatti foi levado para Blumenau para ficar detido no município, já que a prisão foi decretada pela Vara Criminal da cidade. O ex-deputado estava na clínica de reabilitação desde o início da semana, informou a defesa dele. Conforme a Secretaria de Estado da Fazenda, ele não comparece ao trabalho desde o dia 9 de maio, dia seguinte à decretação da prisão.

Do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.