Equipamentos são furtados e viveiro de papagaios é arrombado no Parque Nacional das Araucárias

Criminosos agiram no local entre a tarde de quarta-feira e manhã desta quinta-feira

Por Oeste Mais

14/03/2019 15:18


Viveiro foi arrombado e equipamentos foram levados do local (Foto: Instituto Espaço Silvestre)

O viveiro de papagaios-de-peito-roxo, no Parque Nacional das Araucárias, interior de Passos Maia, foi arrombado entre a tarde de quarta-feira e manhã desta quinta-feira, dia 14. Duas armadilhas fotográficas, com pilhas e cartões de memória, foram furtadas do local.

 

Responsável pelo projeto de reintrodução da espécie desde 2010, o Instituto Espaço Silvestre está oferecendo uma recompensa para quem tiver informações que levem à recuperação dos equipamentos. “A gente está muito abalada. Esses equipamentos, a gente levou mais de um ano para conseguir uma doação que nos permitisse comprar, e mal foram utilizados”, lamenta a bióloga Vanessa Tavares Kanaan.

 

Segundo ela, as armadilhas estavam acorrentadas com duas correntes e dois cadeados cada. “Felizmente, não levaram nenhum papagaio e não fizeram nenhuma maldade com eles”, diz Vanessa, que coordena o projeto desde o início e trabalha para a sétima soltura de aves na região.

Câmeras furtadas são iguais a este modelo (Foto: Instituto Espaço Silvestre)

“A gente gostaria muito, primeiro, de conseguir informações sobre esses equipamentos. Eles fazem muita falta para o projeto, não só para monitorar a segurança dos papagaios contra pessoas, mas principalmente para estudar os predadores que estão na área”, explica.

 

A bióloga também pede o apoio da população para que informe qualquer suspeita sobre o caso, já registrado na Polícia Civil. Vanessa ainda teme pela continuidade do processo da nova soltura de papagaios. “Se a gente não conseguir apoio com a segurança, vai ter que tirar os papagaios e não ter a soltura”, receia. Ao todo, 36 aves são preparadas no viveiro. Três delas foram encaminhadas para atendimento veterinário.

 

Na avaliação da bióloga, se anova soltura precisar ser cancelada, vai impactar no projeto. “Se isso acontecer, possivelmente, impacta o projeto, que é bem legal, traz bastante visibilidade para a região, além de outros benefícios, de atividades educativas, geração de renda e de fazer um trabalho inédito nessa questão da reintrodução do papagaio-de-peito-roxo”, finaliza.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.