MP denuncia por homicídio qualificado homem que teria simulado suicídio da companheira em Palmitos

Mulher foi morta com pancada na cabeça e e em seguida foi jogada no rio

Por Redação Oeste Mais

15/02/2022 09h20 - Atualizado em 15/02/2022 09h20



Corpo da vítima foi encontrado às margens do Rio Uruguai, com sinais de agressão (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

O caseiro de um camping em Palmitos acusado de ter matado a companheira agora é réu em uma ação penal pública denunciado pelo Ministério Público por homicídio qualificado.

 

A denúncia foi aceita pela Justiça na tarde desta segunda-feira, dia 14. O réu já cumpre prisão preventiva pelo crime que teria cometido na noite de 13 de janeiro, no camping em que os dois moravam e trabalhavam, no balneário de Ilha Redonda, interior de Palmitos.

 

Conforme constataram as investigações, o caseiro teria matado a ex-companheira motivado pelo sentimento de vingança, por ela ter terminado o relacionamento entre os dois.

 

O suspeito se aproximou da vítima para atacá-la de surpresa, agredindo-a com uma paulada na cabeça. O golpe fez com que a mulher perdesse a capacidade de se defender, o que permitiu ao agressor asfixiá-la sem enfrentar resistência.

 

O crime

 

O crime ocorreu na noite de 13 de janeiro, em um camping de Ilha Redonda. Na ocasião, o investigado comunicou a Polícia Militar sobre o desaparecimento da companheira após, segundo ele, a mulher ter seguido em direção ao Rio Uruguai dizendo estar disposta a tirar a própria vida.

 

O caseiro afirmou que não havia levado a ameaça a sério, pois não seria a primeira vez que a companheira teria anunciado a sua intenção de cometer suicídio, devido a uma suposta depressão que teria sido causada pela morte da filha dela, cerca de um ano antes.

 

Com a ajuda dos policiais militares, o corpo da vítima foi encontrado na margem do rio, onde ela, a princípio, teria morrido afogada. A perícia no cadáver não conseguiu comprovar que o afogamento foi a causa da morte, mas encontrou ferimentos na cabeça e nas mãos indicando que a mulher havia sido agredida com violência e tentado se defender, sem sucesso, antes de ter sido arrastada desacordada ao local em que teria sido jogada ao rio pelo companheiro.

 

As investigações policiais levantaram vários indícios de que a mulher teria sido vítima de feminicídio - como testemunhos de conhecidos do casal sobre episódios de violência doméstica - e de que o suspeito teria tentado simular o suicídio.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.