Posto de Vargeão tem prejuízo de R$ 3,3 mil após caminhoneiro abastecer e sair sem pagar

Foram 760 litros de óleo diesel injetados em tanque de carreta

Por Jhonatan Coppini

15/09/2021 10h11 - Atualizado em 15/09/2021 10h17



Carreta saiu pela BR-282, sentido Ponte Serrada (Foto: Reprodução)

O Posto Coopercarga Idaza, nas margens da BR-282 em Vargeão, teve um prejuízo de R$ 3,3 mil após um caminhoneiro abastecer uma carreta com óleo diesel e sair sem pagar a conta. O caso foi registrado no amanhecer de terça-feira, dia 14, por volta das 6 horas.

 

Ainda era noite quanto o motorista estacionou a carreta para abastecer. O gerente Edson Schneider afirma que um frentista foi até o veículo e o homem pediu para encher o tanque. Foram 760 litros de óleo diesel injetados no reservatório da carreta.

 

“Ele chegou para abastecer, falou que ia pagar no cartão de crédito. O frentista abasteceu, entregou a comanda para ele e aí foi lavar o vidro, encher a barrica de água. [O motorista] foi para o banheiro, que fica nos fundos do posto. Ele volta, entra na conveniência, dá uma olhadinha e já sai”, relata o gerente.

Motorista aparece em imagens de câmeras do posto (Foto: Reprodução)

Câmeras de videomonitoramento registraram a ação. O motorista estava de máscara o tempo todo, vestia uma jaqueta escura e um calção. “O problema é que ele levou a comanda, que tinha a placa”, lamenta Edson, já que pelas imagens não é possível identificar de onde é a carreta.

 

O gerente do posto afirma ainda que a carreta seguiu pela BR-282 logo após sair do local, sentido ao município de Ponte Serrada. Edson ainda não registrou a ocorrência da delegacia, mas vai fazer um boletim on-line.

 

De acordo com o gerente, situações parecidas já ocorreram no posto com o abastecimento de gasolina. “A gente sempre conseguiu recuperar. Se tem placa e nome, é possível rastrear. Agora sem a placa, complica”, completa Edson.







COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.