Homem preso após tentar aplicar golpe em idosa faz parte de organização criminosa de SP

Ele precisou ser levado ao hospital após ser agredido com uma barra de ferro por um familiar da vítima

Por Oeste Mais

06/08/2021 16h06 - Atualizado em 06/08/2021 16h22



O homem que foi preso pela Polícia Militar na tarde da última quarta-feira, dia 4, após tentar aplicar o golpe do cartão em uma idosa de Capinzal, faz parte de uma organização criminosa da cidade de São Paulo com atuação em todo o território nacional.

 

Conforme a Delegada Fernanda Gehlen da Silva, o indivíduo confessou ter se deslocado para Capinzal com o intuído de praticar o crime de estelionato. Ele é autor de pelo menos quatro golpes na Comarca, tendo sido reconhecido por outras três vítimas.

 

Fernanda explica que incialmente um dos integrantes da organização entra em contato através de ligação telefônica, identifica-se como funcionário do banco em que a vítima possui conta e informa que o seu cartão teria sido clonado e que estariam sendo feitas despesas indevidas e que o cartão teria que ser cancelado. São repassadas algumas orientações e informado que outro funcionário da instituição passará na residência para recolher o cartão a fim de proceder o cancelamento.

 

No segundo momento, outro membro da quadrilha se desloca até a casa da vítima, recolhe o cartão com todas as informações, normalmente repassadas pelo telefone, ou, de uma carta que os indivíduos orientam a vítima a escrever e entregar juntamente com o cartão. Depois disso, os estelionatários realizam as movimentações na conta e débitos no cartão das vítimas.

 

“O indivíduo que foi preso em Capinzal era responsável por passar na casa das vítimas recolhendo os cartões, imediatamente enviava fotos para os demais membros da associação criminosa que realizavam as operações na conta e no cartão das vítimas”, destacou. 

Com informações da Rádio Capinzal


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.