Polícia indicia homem por esfaquear fiel ao tentar atacar mulher em igreja

Acusado de 30 anos deverá responder por tentativa de homicídio e lesão corporal culposa

Por Redação Oeste Mais

15/06/2021 18h47 - Atualizado em 15/06/2021 18h47



A Polícia Civil indiciou um homem de 30 anos por tentativa de homicídio e lesão corporal culposa em Videira, no Oeste catarinense, depois de ele invadir uma igreja evangélica para atacar uma mulher com uma faca no último domingo, dia 13.

 

O noivo dela, que estava no local, foi ferido no pescoço ao tentar defendê-la. O suspeito foi preso em flagrante e a vítima encaminhada ao hospital pelos bombeiros, com quadro de saúde estável.

 

O delegado Wanderson da Silveira disse que o suspeito era obcecado pela mulher que pretendia ferir. "Ele já havia perseguido ela outras vezes. Tinha uma obsessão doentia sem ter tido nenhum tipo de relação. A irmã tentou segurar a porta para que ele não conseguisse passar, mas foi empurrada para o chão", afirmou o delegado.

 

O delegado disse que solicitou perícia na arma utilizada e aguarda o resultado do exame de lesão corporal da vítima. Segundo ele, todas as testemunhas já foram ouvidas e o inquérito está concluído.

 

Ataque

 

O ataque ocorreu por volta das 18h30 de domingo. O acusado parou ao lado da mulher e tirou uma faca da cintura. Os fiéis perceberam a situação e começaram a gritar.

 

De acordo com o delegado, o noivo tentou defender a mulher, mas acabou levando uma facada no pescoço. O autor tentou deferir outros três golpes no homem, mas testemunhas o impediram.

 

"A intenção do suspeito era matar mesmo, executar. Quando as pessoas o seguraram, o noivo conseguiu fugir", disse o delegado.

 

Quando a Polícia Militar chegou no local, o homem estava tentando fugir em uma moto, mas foi preso em flagrante. O suspeito, segundo o delegado, não frequentava a igreja, mas teria ido a outros cultos com a intenção de perseguir a mulher.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.