Casal perde R$ 3 mil em golpe ao negociar compra de moto

Veículo foi colocado à venda em um site e um homem acabou dando o golpe

Por Oeste Mais

11/06/2021 08h30



Golpista conseguiu pegar o dinheiro do negócio (Foto: Polícia Militar)

Um casal do interior de Concórdia perdeu R$ 3 mil após cair em um golpe enquanto estava negociando a compra de uma motocicleta.

 

Segundo o site Caco da Rosa, os proprietários da moto, um casal que reside em Zortéa, disseram que colocaram a moto a venda por R$ 4,8 mil em um site. Eles foram procurados por um golpista, que se passou por advogado. O homem afirmou que compraria a motocicleta para entregar a um casal em troca de uma dívida e marcou dia e local para a entrega.

 

No entanto, o golpista havia copiado o anúncio e publicado em uma conta falsa no Facebook, onde conseguiu a atenção das vítimas, que entraram em contato e fizeram a transação, pois o valor pedido, de R$ 3 mil, parecia um bom negócio.

 

Ele contou uma história diferente, dizendo que os proprietários da moto iriam entregar o veículo em troca de uma dívida. O dinheiro foi depositado para o golpista, que informou o local da entrega.

 

Os casais perceberam o golpe quando se encontraram para a entrega da motocicleta. Estavam no local para fazer a transação, mas o dinheiro já havia sido recebido por outra pessoa.

 

Sensibilizados com a situação, os proprietários da moto acabaram negociando o veículo por um valor bem abaixo, pois as vítimas já haviam perdido os R$ 3 mil. Eles receberam R$ 2 mil de entrega e o restante, R$ 1 mil, será parcelado.

 

O caso foi registrado na delegacia, mas dificilmente o dinheiro será recuperado, pois o golpista bloqueou os contatos e ainda riu do casal, quando eles informaram que iriam procurar a polícia.

 

Eles resolveram divulgar o fato para alertar outras pessoas sobre o golpe, pois o estelionatário ainda pode estar oferecendo a mesma moto.

Com informações do Caco da Rosa


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.