Assalto a banco em Criciúma: criminosos roubaram mais de R$ 125 milhões, diz polícia

Valor aproximado apareceu em uma decisão judicial

Por Oeste Mais

30/04/2021 08h41 - Atualizado em 30/04/2021 08h41



A Polícia Civil confirmou que os criminosos responsáveis pelo assalto a uma agência bancária de Criciúma, no Sul de Santa Catarina, no final da noite de 30 de novembro, roubaram cerca de R$ 125 milhões do banco. O valor aproximado apareceu em uma decisão judicial e foi confirmado nesta quinta-feira, dia 29, à NSC pelo delegado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, Anselmo Cruz.

 

O crime ocorreu entre a noite de 30 de novembro e madrugada de 1º de dezembro. Aproximadamente 30 homens com armas de grosso calibre cercaram a área central da cidade, onde fica o banco, durante quase duas horas. Foram feitos reféns e um policial militar foi baleado e ficou mais de dois meses no hospital.

 

Uma decisão recente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) cita um valor aproximado que teria sido roubado no crime. O delegado Anselmo Cruz explicou que o banco precisou fazer "diversas operações" para chegar à contagem final de R$ 125 milhões.

 

"Houve valores recuperados em via pública, espalhados no interior do prédio, bem como com pessoas que 'pegaram' dinheiro nas imediações e foram identificadas pelas forças policiais. Também houve a necessidade de análise de milhares de notas danificadas durante o arrombamento", afirmou o delegado.

 

Antes, a Polícia Civil havia divulgado que R$ 80 milhões haviam sido roubados no assalto.

 

A decisão judicial que menciona o valor aproximado é um habeas corpus julgado pelo STJ. No documento, o ministro Sebastião Reis Júnior indefere o pedido de liberdade de uma mulher presa, suspeita de participar do assalto.

 

O argumento dele para não aceitar o pedido é de que "os criminosos teriam levado ao menos R$ 130 milhões" do banco, "valor extremamente elevado" e que dar a liberdade à suspeita poderia favorecer a fuga dela. O delegado informou nesta quinta que o valor seria de cerca de R$ 125 milhões.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.