Pai suspeito de matar filha a facadas tem prisão preventiva decretada

Homem de 42 anos deve responder por feminicídio, tentativa de feminicídio, homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo

Por Oeste Mais

14/04/2021 09h40 - Atualizado em 14/04/2021 09h43



Casa dos avôs de Géssica, onde o crime ocorreu no fim da tarde de segunda-feira (Foto: Patrick Rodrigues/NSC)

A prisão preventiva do homem acusado de assassinar a própria filha foi decretada no final da tarde desta terça-feira, dia 13. O crime ocorreu em Rodeio, no Vale do Itajaí, no dia anterior. A vítima tinha 21 anos. O pai, de 42 anos, será encaminhado ao Presídio Regional de Blumenau, informou o delegado responsável pela investigação, Ronnie Esteves.

 

Géssica Dias Tizon foi atingida por ao menos três golpes de faca e morreu. Ela foi sepultada na tarde desta terça. A suspeita é que a jovem tenha sido morta ao defender a mãe das agressões do pai. A mãe da vítima, os avós e um tio também foram agredidos. O crime ocorreu após a ex-companheira ter ido à delegacia pedir medida protetiva contra o homem.

 

Após o assassinato, o responsável foi preso em flagrante e, ferido, foi levado ao hospital junto com as outras vítimas. Segundo o delegado, todos receberam alta médica durante a tarde desta terça.

 

De acordo com o delegado, o pai deve responder por feminicídio consumado contra a filha, por tentativa de feminicídio contra a ex-companheira e a ex-sogra e por tentativa de homicídio qualificada contra o ex-sogro e o ex-cunhado.

 

Esfaqueamentos

Géssica Dias Tizon tinha 21 anos (Foto: Reprodução/G1)

Segundo a Polícia Civil, o homem teria ido até a casa da avó da menina na segunda-feira, dia 12, e além de esfaquear a filha, deferiu golpes de faca contra a ex-mulher, de 39 anos, que é mãe da vítima. Os avós, de 56 e 61, e o tio da vítima, de 34, também foram atacados.

 

No começo da tarde de segunda-feira, a mãe de Géssica procurou a polícia para pedir uma medida protetiva de urgência contra o então marido e pai da vítima. A medida foi deferida e a PM a acompanhou até a casa em que ela dividia com ex-companheiro. Lá, ela pegou algumas roupas e os dois filhos mais novos e foi para a residência dos pais.

 

"Tudo leva a crer que assim que o agressor retornou para casa se deparou com a situação [ida da mulher e filhos] e foi até a casa dos sogros já com a intenção de tirar a vida da esposa. Pelo que se percebeu, a filha tentou impedir isso", disse o delegado.

 

Depois de matar a filha e ferir as outras pessoas, o homem fugiu para casa onde morava com a família, que fica a aproximadamente 50 metros do local de onde o crime ocorreu. A PM encontrou o homem caído em uma área de matagal no fundo da casa com cortes pelo corpo.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.