Mãe e padrasto de Henry são presos no Rio: 'Não resta a menor dúvida sobre a autoria do crime', diz delegado

O padrasto de Henry, o vereador Dr. Jairinho, e a mãe da criança, Monique Medeiros, foram indicados por homicídio duplamente qualificado

Por Oeste Mais

08/04/2021 13h54 - Atualizado em 08/04/2021 13h54



Casal foi preso nesta quinta-feira, dia 8 (Foto: Reprodução)

O delegado Henrique Damasceno, responsável pela investigação da morte do menino Henry Borel, afirmou nesta quinta-feira, dia 8, ter certeza de que o vereador Dr. Jairinho foi o autor das agressões que mataram o menino e de que a mãe dele, Monique Medeiros, foi conivente. O casal foi preso e indiciado por homicídio duplamente qualificado.

 

“Não resta a menor dúvida, em relação aos elementos que nós temos, sobre a autoria do crime, dos dois”, disse o delegado sobre a morte de Henry, ocorrida no dia 8 de março deste ano, no município de Rio de Janeiro.

 

"A investigação segue, a investigação não está encerrada no momento. Entretanto, já reunimos provas muito fortes, muito convincentes, a respeito de toda essa dinâmica e da participação de cada um deles”, acrescentou Damasceno.

 

As declarações foram dadas em entrevista coletiva com membros da Polícia Civil e do Ministério Público após as investigações que resultaram na prisão de Monique Medeiros e do vereador Dr. Jairinho (afastado do Solidariedade) nesta quinta-feira.

 

Questionado sobre a possibilidade de Monique ter sido ameaçada por Jairinho, Damasceno disse que não. “Com bastante sinceridade, não é isso que percebi [que ela tenha sido ameaçada]. Ela teve inúmeros momentos em que poderia ter falado conosco, o depoimento foi bastante longo e ela se mostrou bastante à vontade em vários pontos dele", declarou o chefe da investigação.

 

A mãe e o padrasto do menino Henry Borel, morto com sinais de violência, foram presos por homicídio duplamente qualificado e também por tentar atrapalhar as investigações do caso e ameaçar testemunhas para combinar versões.

 

A criança de 4 anos morreu no dia 8 de março, com sinais de agressão. A Polícia Civil acredita que as agressões de Jairinho contra Henry tenham resultado na morte do menino.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.