‘Sequestrador mora a 60 metros da minha casa’, diz pai de médica sequestrada em Erechim

Berto Silva mora no município de Laranjeiras do Sul (PR), onde é prefeito, e também afirma ter juntado R$ 2 milhões para pagar o resgate da filha

Por Oeste Mais

23/10/2020 09h02 - Atualizado em 23/10/2020 09h02



Médica Tamires Gemelli da Silva Mignoni ficou cinco dias em cativeiro (Foto: Arquivo pessoal)

O pai da médica Tamires Gemelli da Silva Mignoni, Berto Silva, revelou que o sequestrador responsável por arquitetar o sequestro da filha mora a 60 metros da residência dele, no município de Laranjeiras do Sul (PR), onde Berto é prefeito.

 

Ele deu a informação em entrevista ao site de notícias Catve. “Nunca pensei isso. Uma pessoa fria, calculista, que ingembrou tudo isso”, disse, completando que o homem trabalha como agente de segurança em uma agência bancária no próprio município de Laranjeiras do Sul. A mulher dele também é acusada de participar do crime.

 

Na mesma entrevista, Berto afirmou ter juntado R$ 2 milhões para pagar o resgate da filha. O valor teria sido exigido pelos bandidos para libertar Tamires, mas não chegou a ser pago. “Reuni com a ajuda de amigos, familiares, a gente reuniu o dinheiro, porque em último caso, eu não perderia minha filha por conta de dinheiro”, disse o pai.

 

Os sequestradores da médica foram presos no Paraná. Eles foram encaminhados para Erechim na noite desta quinta-feira, dia 22, informou o site AUOnline.

 

Dois homens e uma mulher foram presos na noite de quarta-feira, após a polícia estourar o cativeiro onde Tamires era mantida em Cantagalo, cidade que fica a 30 quilômetros de Laranjeiras do Sul. Outra mulher foi presa na manhã de quinta-feira, em Laranjeiras do Sul. A companheira do vigilante foi detida acusada de participar do crime.

 

A médica disse à polícia que não sofreu agressões e nenhum tipo de violência durante o tempo em que esteve nas mãos dos sequestradores. O cativeiro foi estourado pelas equipes policiais na noite de quarta-feira, sem pagamento de nenhum valor aos criminosos. Os quatro presos foram ouvidos e encaminhados ao presídio de Erechim, onde permanecerão à disposição da justiça.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.