Em meio à pandemia, festa em casa de foragido termina em briga e prisão no Norte catarinense

Segundo a PM confraternização em Joinville era de facção criminosa

Por Oeste Mais

01/06/2020 10h32 - Atualizado em 01/06/2020 10h32


Em meio à pandemia do novo coronavírus, uma festa terminou em confusão e com o anfitrião preso pela Polícia Militar, em Joinville, no Norte catarinense, na madrugada deste domingo, dia 31. Vizinhos acionaram as autoridades por volta das 3h30min por causa do barulho da música e do tumulto. Segundo a PM, as cerca de 60 pessoas que estavam presentes na residência pertencem a um grupo criminoso.

 

O caso ocorreu na Rua Perseus, no Bairro Jardim Paraíso. Era tanta bagunça e gritaria que os moradores decidiram reclamar. Ao chegarem, os policiais constataram que se tratava de uma confraternização nos fundos do imóvel.

 

No entanto, a PM percebeu que pouco antes tinha ocorrido uma briga que terminou com diversos objetos quebrados pelo chão e pessoas machucadas. Um convidado desacatou os policiais e foi detido. Neste momento, os demais passaram a jogar pedras nos agentes na tentativa de libertar o colega, conforme registrado no relato policial.

 

Reforço foi chamado e assim os policiais anunciaram que fariam a revista pessoal. Alguns tentaram fugir ao pular um muro de cerca de três metros e correr sobre as casas, quebrando telhas.

 

Ao final, a PM revistou os presentes, constatou que vários deles tinham passagens por crimes como roubo, tráfico de drogas e até homicídios. O dono da festa estava com mandado de prisão ativo por roubo e foi encaminhado à unidade prisional de Joinville. Os demais foram registrados em termos circunstanciados por perturbação do sossego, desacato, resistência à prisão, rixa, dano e pela infração de determinação do poder público, destinada a impedir a propagação da nova doença.

Facção criminosa realizava a confraternização (Foto: Polícia Militar)

Com informações do A Notícia

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.