Ministério Público do trabalho entra com ação contra JBS por irregularidades na prevenção do coronavírus em frigorífico

Unidade em Ipumirim está fechada desde 18 de maio, quando quase 90 trabalhadores foram diagnosticados com Covid-19

Por Oeste Mais

26/05/2020 16h40 - Atualizado em 26/05/2020 16h44


O Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com uma ação civil pública pedindo indenização por dano moral coletivo contra a JBS por causa da falta de segurança aos trabalhadores em relação ao novo coronavírus no frigorífico de aves em Ipumirim.

 

A unidade está interditada desde o dia 18, quando foram identificados 86 trabalhadores com Covid-19, quase 5% dos cerca de 1,5 mil empregados do local. Ainda não há decisão da Justiça do Trabalho sobre o caso.

 

O frigorífico é da Seara Alimentos, que pertence à JBS. Por nota, a JBS disse que não foi notificada da ação, que tem como "objetivo prioritário" a saúde dos funcionários e que "adota um rígido protocolo de prevenção contra a Covid-19", seguindo orientações de órgãos de saúde, do Hospital Albert Einstein, e especialistas médicos contratados para apoiar na adoção dessas medidas preventivas.

 

A unidade foi fechada depois que auditores fiscais do Trabalho constataram, durante fiscalização, que havia funcionários com coronavírus que continuaram trabalhando mesmo após o diagnóstico positivo para a doença, e a falta de distanciamento entre os trabalhadores na linha de produção e de medidas de controle epidemiológico, entre outras irregularidades.

 

O Ministério Público do Trabalho diz que a empresa é considerada um foco de transmissão do coronavírus tanto em Ipumirim quanto nos municípios vizinhos, por empregar pessoas de toda a região.

 

Na ação, o MPT pede que a Justiça determine testagem de trabalhadores para o coronavírus, distância adequada entre os funcionários e o afastamento imediato de pessoas pertencentes ao grupo de risco e de quem tenha a doença ou que esteja com suspeita de contaminação.

 

As irregularidades são investigadas pelo MPT em Joaçaba, também na região Oeste, por meio de um inquérito civil.

 

A Procuradoria afirma que foi preciso entrar com a ação porque a JBS, diferentemente de outras empresas do setor, não firmou acordo com o Ministério Público do Trabalho para adotar medidas de controle e contenção da pandemia e deixou de cumprir recomendações dadas ao setor pelo governo do estado e pelo próprio MPT.

Com informações do G1

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.