Operação Ágata é concluída com 23,5 mil veículos abordados na região

Trabalho foi realizado em vários pontos estratégicos espalhados pelo Oeste

Por Oeste Mais

23/06/2016 15h01 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A Operação Ágata foi encerrada nesta semana depois de vários dias de fiscalização em municípios da região Oeste de Santa Catarina. De acordo com um levantamento divulgado pelo Exército, responsável pelo trabalho, foram vistoriados e inspecionados 23,5 mil veículos, incluindo motos, veículos leves, caminhões, ônibus e vans.

 

A operação se estendeu por mais de 150 quilômetros entre os municípios de Paraíso e Faxinal dos Guedes. No período também houve apreensões de três toneladas de explosivos, 204,7 quilos de maconha, R$ 253.305 em dinheiro não declarado e um caminhão transportando toras de madeira não declaradas.

 

Entre os números ainda aparecem 15 veículos furtados e apreendidos, nove prisões em flagrantes, R$ 420 mil em descaminho e contrabando, com apreensões de 30 mil óculos, 870 maços de cigarros contrabandeados, 17 receptores de TV digital e oito pares de rádios de comunicação.

 

Produtos eletrônicos e de processamento de dados, produtos de limpeza e alimentação, caminhão transportando pneus novos não declarados, além de armas de fogo e motoristas com documentação em situação irregular e embriagados e apreensões de crack e cocaína foram outras ocorrências.

 

A Receita Estadual também executou notificações que chegaram a R$ 160 mil em multas. Houve ainda ações cívico-sociais, com exposição de materiais de uso militar, oficinas recreativas de pista de cordas, pintura e camuflagem para crianças, orientação médico-odontológica e palestra sobre doenças sexualmente transmissíveis para adultos e adolescentes.

 

Ainda foram repassadas informações para o ingresso nas Forças Armadas e houve apresentações musicais em praça pública para 8,4 mil pessoas das cidades de Xanxerê, Maravilha, Iporã do Oeste, Guaraciaba, São José do Cedro e Dionísio Cerqueira, que também receberam orientações acerca da eliminação de recipientes para a erradicação de focos de proliferação do mosquito Ades aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.